Pai usa fio de fone de ouvido para amarrar cordão umbilical após mulher dar à luz em banheiro

Ao ligar para serviço de emergência, Richard Cox foi orientado usar uma corda para fazer o procedimento, mas a única coisa que encontrou foi o fone de seu celular.

Por BBC Brasil

Um pai que assistiu ao parto de sua filha prematura no chão do banheiro de casa usou seus fones de ouvido para amarrar o cordão umbilical do bebê.

Richard Cox descreveu como ele ajudou sua esposa Hayley a dar à luz a filha Emilie quando ela nasceu na casa deles em Rosyth, em Fife, na Escócia.

Após o parto inesperado, Richard ligou para o 999 (número de emergências do Reino Unido) e uma atendente começou a orientá-lo até que uma equipe de ambulância chegasse.

Amarrar o cordão umbilical ajuda a mãe e o bebê a evitarem infecções.

"Tudo aconteceu muito rápido. Minha esposa entrou em trabalho de parto no meio da noite e minha filha nasceu antes mesmo que eu tivesse tempo de ligar para uma ambulância", disse o bancário de 31 anos.

"Depois da chegada de Emilie, eu liguei para o 999 e uma atendente me falou que eu precisava encontrar um pedaço de corda – como um cadarço de sapato – para amarrar o cordão umbilical."

102805067pai2-497319159d550b83f50242a22e6137e1.jpg

Amarrar o cordão no improviso

"A única coisa que eu consegui encontrar foram os fones de ouvido do meu iPhone – eu os amarrei ao cordão e ficou tudo bem. A atendente da chamada merece todo o crédito."

"Enquanto tudo isso acontecia, ela ficava me perguntando: O bebê está respirando? O bebê está bem? Com ​​tanto barulho ao fundo, ela poderia ter perdido a calma também."

O casal estava em casa quando Hayley Cox, de 32 anos, começou a sentir uma dor "intensa", que durou cerca de 45 minutos. Isso ocorreu na madrugada do dia 8 de janeiro – e o bebê estava previsto para apenas depois de 27 de fevereiro.

Emilie nasceu pesando apenas 1,4 kg.

A ligação de emergência foi atendida por Jodie Craig e uma ambulância foi despachada imediatamente pela sua supervisora ​​Lynne Walker.

102805069pai3-4150157f5ccdf24f1fd70a8cfe990c85.jpg

Richard disse: "Eles (paramédicos) entraram em casa quando tudo estava bem calmo. Um dos rapazes disse que nunca tinha visto uma casa onde houve um parto tão calma."

"Todos fizeram a sua parte, desde a ligação até os socorristas. Eles perguntaram se eu queria cortar o cordão. Todos eram foram realmente muito acolhedores e tranquilizadores. Você nunca acha que vai estar numa situação dessas."

"A prioridade era ter certeza de que ela estava respirando e ter certeza que seu rosto estava limpo. Eu não tinha entendido que ela tinha nascido até a ambulância chegar. É incrível como o seu instinto toma conta."

Emilie ficou inicialmente em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, mas foi para casa algumas semanas depois e está bem. Seis meses depois, ela agora pesa 7,3 kg.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo