Sabesp já poupa água do sistema Cantareira

Por Metro Jornal

Mesmo antes de o sistema Cantareira ficar com menos de 40% de sua capacidade e atingir o nível de alerta, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) já vinha captando menos água do que o máximo que podia. Ele é responsável pelo abastecimento de cerca de 7,5 milhões de pessoas.

A resolução conjunta de Daee (Departamento de Água e Energia Elétrica) e ANA (Agência Nacional de Águas) de maio do ano passado determina que, quando o sistema está nesse nível, a companhia pode tirar no máximo 27 m³/s de água na estação elevatória Santa Inês. Mas, segundo o Daee, a Sabesp já vem captando em torno de 22 m³/s a 25 m³/s naquele local. Na segunda-feira, o Cantareira tinha 39,7% de sua capacidade.

Em 2013, um ano antes da crise hídrica, o sistema estava com 53,6% da água total que pode reservar. A Sabesp diz que, nos últimos 13 meses, poupou 25% do que estava autorizada a retirar do sistema. Foram economizados 245,8 bilhões de litros do volume útil. De acordo com a empresa, a entrada de água nas represas, principalmente a partir de abril, no Sistema Cantareira, tem ficado muito próxima das mínimas já registradas.

Em nota, a empresa destaca que “é importante que os moradores economizem água sempre”. A situação chegou a esse ponto depois de 46 dias seguidos sem chuva acima de 1 mm em São Paulo, segundo dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

A Climatempo compilou os números e constatou que é o sexto mais longo período de dias consecutivos sem chuva relevante (acima de 1 mm) na cidade de São Paulo desde 1961, igualando ao ano de 1984. Mas a Climatempo tem notícias melhores no curto prazo. Nesta terça, o tempo deve ficar nublado e chuvoso na cidade, assim como o resto da semana. Para a região do Cantareira, a meteorologista Josélia Pegorim prevê chuva todos os dias até o domingo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo