Ensaio fotográfico mostra que imigrantes fazem o impossível por uma vida melhor

Por Daniel Casillas / MWN

Os imigrantes formam um dos grupos mais vulneráveis do planeta. No entanto, essas pessoas também são muito corajosas, pois estão dispostas a fazer coisas inacreditáveis para obter uma vida melhor.

É exatamente isso que a fotógrafa Monica Lozano registrou em seu ensaio fotográfico “Borders”, que está logo abaixo da entrevista com a produtora das imagens.

Do que trata o ensaio ‘Borders’?
Ele fala sobre histórias verdadeiras de pessoas ao redor do mundo que cruzaram fronteiras de formas extremas. Algumas histórias são bem-sucedidas, outras, não. Esse ensaio é uma homenagem aos imigrantes e à força que têm. Eles fazem o impensável para ganhar uma nova vida. É um ensaio sobre o sujeito, o objeto que eles usaram para atravessar uma certa fronteira e o momento em que eles estão atravessando, esse momento de nada, quando deixam para trás sua vida passada e ainda não chegaram ao que eles acreditam ser a “terra prometida”.

O que a inspirou?
Morando em Madri, na Espanha, pude ver nos imigrantes os mesmos olhos dos imigrantes que cruzam do México para os EUA. Eles não pertencem a lugar nenhum enquanto estão em trânsito. Um dia minha mãe me mostrou uma reportagem de jornal falando sobre um homem que tentou atravessar a fronteira do México com os EUA escondido dentro de um banco de carro. Eu pensei: esse homem devia estar muito desesperado para se colocar dentro de um banco, por horas, a fim de cruzar a fronteira e possivelmente alcançar o “Sonho Americano”. A força desse imigrante inspirou o ensaio.

Que mensagem você tenta passar com essas fotos?
Eu nasci e cresci na fronteira do México com os EUA. Meu trabalho fala sobre a condição humana em lugares difíceis, em tempos agudos. Questiono a sobrevivência nas fronteiras ao redor do mundo, estou interessada em capturar histórias que são um verdadeiro testamento de coragem. Estou interessada em retratar o homem que é capaz de fazer qualquer coisa para construir uma nova vida e talvez ser feliz com ela.

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo