Vídeo de assediador agredindo mulher na rua choca a França

Estudante foi assediada por um homem quando voltava para casa do trabalho e, ao reagir pedindo para que parasse, foi atacada com um golpe no rosto em ato filmado por câmera de segurança.

Por BBC Brasil

Um homem assediou uma estudante francesa em uma rua de Paris e, após ouvir que deveria parar, a atacou com um golpe no rosto.

Marie Laguerre compartilhou na internet o vídeo de uma câmara de segurança que mostra o momento exato em que ela foi estapeada pelo assediador em frente a um café na região nordeste da capital francesa.

O vídeo viralizou rapidamente. A agressão ocorre num momento que o governo se prepara para impor multas para assédio na rua.

"As primeiras multas serão aplicadas nesse semestre", disse a ministra da Igualdade, Marlène Schiappa.

Um novo pacote de medidas estabelece que assediadores terão de pagar entre 90 e 750 euros (de R$ 390 a R$ 3.250). A nova lei está em tramitação no Congresso francês e deve ser aprovada nesta semana.

A iniciativa foi bem recebida pelas mulheres francesas com o crescimento de movimentos contra o assédio. O movimento #BalanceTonPorc (denuncie o porco, em tradução livre) incentiva as mulheres a denunciarem publicamente casos de assédio e abuso sexual – é o equivalente francês ao movimento #MeToo (eu também), que surgiu depois dos casos de assédio em Hollywood começarem a surgir.

'Não posso ficar calada'

A estudante Marie Laguerre, de 22 anos, explicou o que aconteceu com ela em uma entrevista à imprensa francesa.

Ela estava voltando do trabalho na semana passada quando um homem começou a fazer comentários ofensivos e obscenos, além de "barulhos com conotação sexual".

Veja o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=48Fg-j11XE0&feature=youtu.be

"Não foi a primeira vez (que algo do tipo aconteceu) naquele dia, nem naquela semana, nem naquele mês. Eu fiquei com raiva e gritei 'cala a boca'. Achei que ele não ia ouvir, mas ele ouviu", disse ela a uma rede de televisão.

O homem respondeu jogando um cinzeiro nela e errando por centímetros.

Então, ele foi na direção dela e a acertou, agressão que foi gravada em vídeo pelas câmeras de segurança do café.

As pessoas no local reemprenderam o homem e Laguerre foi para casa. Mas rapidamente a estudante decidiu voltar, pegar depoimentos das testemunhas e ir à polícia.

Ela disse que todo mundo no café achou a reação dela normal, e o dono do estabelecimento deu o vídeo de segurança para ajudá-la a encontrar o agressor. O vídeo foi visto mais de 900 mil vezes.

A estudante disse que ir a público para lutar contra a agressão foi difícil, mas todas as mulheres sofrem com esse tipo de problema e é hora de isso acabar. "Não posso ficar calada, não podemos ficar em silêncio", escreveu a jovem no Facebook.

Luta contra o assédio

Promotores de Paris abriram uma investigação sobre o ataque contra a estudante, mas o homem que a agrediu ainda não foi encontrado.

A ministra da Igualdade disse ao jornal Le Parisien que ficou revoltada com o ataque e que o objetivo da nova lei é impor uma "clara proibição social" ao assédio.

Schiappa pediu para que vítimas de qualquer tipo de abuso sexual venham a público denunciar. Ela disse que diversas mulheres reclamaram de serem tocadas de forma inapropriada na rua durante as comemorações da vitória da França na Copa do Mundo, por exemplo.

Segundo a Fundação Jean Jaurès, cerca de 60% das mulheres francesas dizem ter sofrido algum tipo de assédio ou violência sexual. Mais de 40% já foram tocadas sem consentimento e mais de 10% já foram estupradas.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo