Crianças em abrigos de imigrantes nos EUA sofrem com abusos

Por ANSA

As autoridades dos Estados Unidos receberam ao menos 125 denúncias de pedofilia em abrigos para imigrantes no país desde 2014, em um período que compreende as gestões de Barack Obama e Donald Trump.

Os dados foram divulgados pela ONG de jornalismo investigativo ProPublica, que compilou denúncias registradas pela polícia. A entidade diz ter coletado provas documentais de abusos sexuais e maus-tratos contra crianças em cerca de 70% dos abrigos geridos pelo governo.

"Se você é um predador, esses centros são uma mina de ouro. Se tem pleno acesso a crianças que sofrem há tempos", disse Lisa Fortuna, diretora do centro de psiquiatria para crianças e adolescentes do Boston Medical Center, à ProPublica.

O departamento dos EUA para serviços sanitários desmente as acusações e afirma que seu foco é a segurança dos menores. "São crianças vulneráveis e em situação difícil, e nós tratamos cada um delas com responsabilidade", declarou o órgão, acrescentando que tem uma política de "tolerância zero" contra abusos.

O tratamento dado pelos Estados Unidos a crianças imigrantes entrou no centro das atenções nos últimos meses, com a decisão do governo Trump de separar famílias que tentam entrar no país ilegalmente. Apesar de a Casa Branca já ter determinado o fim dessa política, cerca de 700 menores continuam longe de seus pais em abrigos nos EUA.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo