Mesmo com nova lei, muitos motoristas ainda desrespeitam vagas reservadas

Por Bruna Barboza/Rádio Bandeirantes

Dez meses após o início da fiscalização de vagas em estabelecimentos privados de São Paulo, muitos motoristas ainda desrespeitam a regra que exige o uso de uma ficha de identificação.

Desde o dia primeiro de setembro de 2017, idosos e deficientes físicos devem possuir um cartão nominal para estacionar em vagas especiais de shoppings e supermercados.

O desrespeito à lei resulta numa multa de 293 reais e 47 centavos, além de sete pontos na carteira de habilitação.

Qualquer motorista acima de 60 anos ou portador de deficiência está sujeito à infração se estacionar em alguma dessas vagas sem o cartão.

A Rádio Bandeirantes visitou vários estabelecimentos regularizados pela CET durante dois dias para observar a postura de motoristas.

“Pessoas que não precisam param nas nossas vagas. Já precisei várias vezes estacionar e não consegui”, contou Aparecida Pachioli, de 64 anos.

Além de supermercados e shoppings, algumas padarias também são fiscalizadas pela CET.

O procedimento para emissão dos cartões é simples, feito pela internet ou em algumas prefeituras regionais com agendamento prévio. Cada ficha tem validade de cinco anos.

De acordo com o Detran, atualmente há quase 800 mil motoristas habilitados com idade entre 60 e 89 anos. Desde a implantação da regra, em setembro, pouco mais de 150 mil cartões foram emitidos.

Segundo a CET, até então a maioria das infrações é por desrespeito às vagas de idosos – já são quase duas mil autuações. Já o uso indevido de vagas de deficientes físicos rendeu 239 multas aos condutores paulistanos.

Qualquer cidadão pode denunciar o uso irregular de vagas especiais; basta acionar a CET pelo telefone 1188.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo