Incêndio na Grécia: Por que fogo se espalha tão rápido e é tão mortífero?

Um inverno relativamente seco seguido por um verão quente criaram um cenário perfeito para a geração e propagação das chamas. Nessas condições, até uma pequena faísca pode iniciar um incêndio. Uma vez iniciado, árvores e objetos que se encontram pelo caminho servem de combustível e contribuem para o aumento do fogo.

Por Redação - BBC News Mundo

"Uma tragédia indescritível". Foi assim que o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, se referiu aos incêndios que se propagam pela região de Ática, a leste de Atenas, desde segunda-feira.

É um dos incêndios mais devastadores já ocorridos na Europa neste século. Até a tarde de terça-feira, pelo menos 79 pessoas haviam morrido e cerca de 200 ficaram feridas, segundo balanço oficial das autoridades gregas. Centenas de casas, veículos e árvores também foram destruídos.

O fogo também bloqueou rotas de fuga. Por isso, para escapar das chamas, muitas pessoas tiveram de conduzir seus veículos entre espessas labaredas. Outras centenas correram para o mar.

Incêndios florestais são comuns na Grécia. Mas, um inverno relativamente seco seguido por um verão muito quente criaram um cenário perfeito para a geração e propagação das chamas atuais.

Nessas condições, até uma pequena faísca pode iniciar um incêndio. Uma vez iniciado, árvores e objetos que se encontram pelo caminho servem de combustível e contribuem para o aumento do fogo.

"Mais de 15 incêndios começaram de forma simultânea em três frentes perto de Atenas e Mati", explicou o porta-voz do governo grego, Dimitris Tzanakpoulos.

Além disso, as altas temperaturas registradas na região, somadas a correntes de vento de até 100 quilômetros por hora, foram chaves para a expansão do fogo, segundo autoridades locais.

102678110afpi048326383-31ef89442cf6cad2f76a72e0739db516.jpg
102693402afpi048326376-19885f76119ecd830333a5fd60e05d95.jpg

Investigações sobre a origem do incêndio

Autoridades gregas estão trabalhando para esclarecer a origem do fogo.

A Procuradoria da Grécia, por exemplo, investiga se o incêndio pode ter sido provocado por ações humanas criminosas ou, ao menos, negligentes. Uma hipótese é que o fogo tenha sido iniciado por incendiários que buscam saquear casas abandonadas.

Itália, Alemanha, Polônia, Espanha, França e Chipre enviaram aviões, veículos e bombeiros para ajudar nos trabalhos de resgate e controle do fogo.

Mas o aumento das temperaturas faz com que as operações de combate ao incêndio estejam correndo contra o relógio.

102679308hi048325948-292a99f491084a819268160a750f0fca.jpg

Regiões atingidas pelo fogo na Grécia

Uma das regiões mais afetadas é Mati, um popular balneário turístico localizado 40 quilômetros a leste de Atenas. Ali, além de vítimas fatais, as autoridades reportaram mais de mil edifícios e 300 veículos destruídos.

"Estamos falando de uma catástrofe bíblica nessa maravilhosa área de Mati", falou George Vokas, um sobrevivente que conseguiu escapar com sua família pelo mar.

"Mati já não existe", afirmou Evangelos Bournous, prefeito de Rafina, uma cidade próxima, onde mais de 700 pessoas precisaram sair às pressas.

"O fogo golpeou como um lança-chamas", falou Nikos Economopoulos, chefe da Cruz Vermelha na Grécia. Segundo ele, muitas vítimas inalaram grandes quantidades de fumaça e sofreram queimaduras.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo