Ampliação do viaduto Adib Chammas, em Santo André, deve começar no fim do ano

Por Cadu Proieti/Metro ABC

A Prefeitura de Santo André promete contratar empresa e iniciar a duplicação do viaduto Adib Chammas, no Centro, até o fim deste ano.

A obra faz parte do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável do município, que ontem recebeu aval do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para liberação de empréstimo de US$ 25 milhões (aproximadamente R$ 96,5 milhões). O contrato foi assinado pelo prefeito Paulinho Serra (PSDB) e o representante do BID no Brasil, Hugo Florez Timoran.

Segundo o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Edilson Factori, o projeto para a construção de novas alças no Adib Chammas está pronto e depende da contratação de empresa para vistoriar o andamento da construção – algo obrigatório em empréstimos internacionais. A estimativa de Factori é lançar licitação e contratar a empresa que fará a obra até o fim deste ano, iniciando assim os trabalhos.

Apenas essa parte do programa que envolve o viaduto consumirá cerca de R$ 12 milhões do total financiado e levará, segundo a prefeitura, um ano para ficar pronto após o início dos trabalhos – a previsão de entrega, portanto, é o fim do ano que vem.

O projeto original do Adib Chammas previa a construção de dois viadutos com seis faixas de tráfego, três para cada sentido de circulação. No entanto, foi feito apenas um viaduto, inaugurado em 1981. O viário existente tem três faixas de tráfego, duas indo para o 2º Subdistrito e a outra no sentido contrário. Ele é a única passagem direta sobre rio Tamanduateí.

A obra, que deve começar este ano, prevê a duplicação do trecho para completar o complexo viário como previsto inicialmente.

Outros projetos
O principal projeto do Programa de Mobilidade Sustentável de Santo André, porém, é a construção de um viaduto sobre a avenida dos Estados e o rio Tamanduateí em Santa Terezinha, dando continuidade ao fluxo de veículos que vem do viaduto Castelo Branco, eliminando as paradas semafóricas deste ponto.

O prefeito disse que essa etapa utilizará R$ 80 milhões do empréstimo, mas só deverá ter licitação daqui um ano, já que ainda depende da elaboração do projeto executivo – não foi divulgada estimativa de prazo para as obras.

O restante da verba, cerca de R$ 4,5 milhões, será utilizado na modernização de quatro quilômetros do corredor de ônibus que passa pela avenida Santos Dumont e vai até o Terminal Rodoviário, no Centro, e para a elaboração do Plano Municipal de Mobilidade Urbana.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo