Cinquenta pessoas morreram de gripe em São Paulo este ano

Por Rádio Bandeirantes

Cinquenta pessoas morreram de gripe na cidade de São Paulo, desde janeiro de 2018.

O número foi divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, com o objetivo de alertar a população aos riscos da doença que pode ser evitada.

Mais da metade dos casos de óbito foram para o vírus da Influenza A, que causa a gripe H1N1 – popularmente conhecida como “gripe suína”.

Neste ano, além do H1N1, outros dois tipos de vírus estão incluídos na campanha nacional de vacinação: H3N2 e Influenza tipo B.

A composição é semelhante à do ano passado.

Apesar disso, é importante que o reforço vacinal seja feito anualmente, explicou à Rádio Bandeirantes o médico infectologista do Instituto Emílio Ribas Jean Gorinchteyn.

A campanha de vacinação contra a gripe foi encerrada no dia 23 de junho.

A meta de vacinar 90% do público-alvo não foi atingida.

Segundo a prefeitura, até a última quinta-feira 78,8% dos paulistanos que fazem parte do grupo prioritário foram imunizados.

Agora, além de gestantes, puérperas e indígenas, podem se vacinar crianças de 6 meses a 9 anos de idade e adultos a partir dos 50 anos.

Neste sábado, mais de 70 unidades básicas de saúde disponibilizam a vacina, na capital paulista.

A dose pode ser tomada em qualquer UBS, além de postos volantes, como o montado na estação Butantã do metrô.

O serviço acontece nas próximas sextas-feiras de julho, dias 20 e 27, entre 10 da manhã e 4 da tarde.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo