PM que sofreu ataques homofóbicos na internet recebe apoio de colegas: 'somos todos Prior'

Por Fred Lopes

Após sofrer uma série de ataques homofóbicos nas redes sociais – incluindo ameaças de morte -, o soldado PM Leandro Prior, de 27 anos, passou a receber apoio de diversos colegas da Polícia Militar e de outras corporações da segurança pública.

Leia mais:
PM quer punição de quem divulgou imagens de beijo
Promotoria denuncia vereador no Paraná por trocar voto por kit churrasco

Prior foi filmado beijando outro homem dentro do Metrô de São Paulo no fim do mês de junho, enquanto estava fardado. Um internauta postou o vídeo na internet, sem o conhecimento do policial, e isso gerou grande repercussão – inclusive negativa. Ele precisou se internar por alguns dias em uma clínica da PM, para tratamento médico, após as ameaças online.

Com o ocorrido, Prior começou a receber apoio de diversos colegas, de diversas corporações de segurança pública de todo o Brasil, que subiram uma hashtag nas redes sociais, #somostodosPrior. Os integrantes têm postado fotos em que aparecem com a bandeira LGBT enquanto estão fardados, além de incluir mensagens de incentivo ao soldado.

"Meu compromisso é com a paz social, ordem pública e segurança. E hei de combater até o fim todo o tipo de violência", declara o PM Alexandre Adas. "Bombeiro militar, biólogo, professor, homem, ser humano!", afirma o bombeiro Theo Fernandes.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo