Conta de luz sobe 15,08% a partir desta quarta

Por Marcelo Ruiz

Prepare o bolso: a partir desta quarta-feira, a tarifa de luz residencial está 15,08% mais cara em São Paulo. O percentual de reajuste foi autorizado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A inflação medida pelo IPCA (índice oficial do país) em 12 meses até maio (último disponível) foi de 2,86%. O IGP-M (índice de inflação que rege o contrato) foi de 4,26% nos 12 meses terminados em maio, período considerado para a alta.

Na média, o reajuste que a Eletropaulo poderá aplicar nas contas de 7,1 milhões de clientes em 24 cidades da Grande São Paulo, incluindo a capital, será de 15,84%. Para os consumidores de baixa tensão (comerciais, serviços, rurais, poder público), o aumento ficou em 15,14%, em média. No caso das indústrias (alta tensão), a alta será de 17,67%.

De acordo com a Aneel, o reajuste foi calculado de acordo com a variação de custos associados à prestação do serviço: aquisição e transmissão de energia elétrica e os encargos setoriais (como taxas e impostos).

O pesquisador em energia do Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), Clauber Leite, disse que o índice o pegou de surpresa. “A gente não esperava um aumento dessa ordem e não sabe como ele foi composto, não é um processo com consulta pública”, afirmou.

A Eletropaulo divulgou no final da tarde de ontem que, dos 15,8% de média, 5,1 pontos se referem a aumento de encargos setoriais, 8,9 pontos são relativos a aumento do custo de geração de energia e 1,8 ponto foi da parcela da própria distribuidora.

Como as contas têm diferentes datas de leitura, os consumidores só devem sentir o efeito integral do aumento na fatura referente ao consumo de agosto.   METRO

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo