'Projeto Comprova' reúne 24 grupos de mídia contra notícias falsas

Por Metro Jornal

Foi lançado hoje o Projeto Comprova, uma coalizão de 24 organizações de mídia brasileiras, para combater notícias falsas durante as eleições brasileiras deste ano.

O Grupo Bandeirantes, por meio das rádios, TV e o jornal Metro, faz parte da coalizão.

O Comprova vai monitorar e fornecer relatos precisos sobre peças de desinformação compartilhadas em redes sociais, sites e aplicativos de mensagens privadas.

A pesquisadora britânica Claire  Wardle, especialista em combater fake news,  deu orientações a jornalistas dos veículos participantes. Para ela, lutar contra a desinformação na rede é como varrer as ruas: “Nós compartilhamos algo no Facebook que não checamos, isso é como se jogássemos lixo nas ruas. Nós temos responsabilidade, como cidadãos, de ter a certeza de que nós estamos andando por ruas limpas.”

Para a britânica, um dos maiores desafios durante as eleições no Brasil será identificar boatos pelo WhatsApp –a estimativa é que a rede social tenha mais de 120 milhões de usuários no país.

Muitos desses rumores e falsos conteúdos são jogados em lugares que os jornalistas não têm como ver. Esse é um dos problemas no Brasil e nós estamos aqui para ajudar e dar apoio à mídia brasileira, para fazer algo juntos”.

Por isso, o Comprova vai pedir aos brasileiros que relatem rumores de notícias falsas relacionadas às eleições presidenciais para que a informação seja checada e se necessário corrigida.

As redações participantes trabalharão juntas para verificar informações, depois criarão peças visuais como imagens compartilháveis, gifs animados e vídeos curtos para espalhar os desmentidos.

O grupo, coordenado pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), começa a monitorar a campanha eleitoral a partir de 6 de agosto. “Quando a gente detectar que um conteúdo é falso e está circulando com forca, a gente vai usar nossas redes de difusão de informação para dizer 'Tem uma informação circulando e ela é absolutamente falsa'”, disse  Daniel Bramatti, presidente da Abraji.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo