Justiça obriga Facebook a explicar exclusão de perfil de músico

Por Estadão Conteúdo

O Facebook pode ter se envolvido em mais um escândalo. Na última terça-feira, 19, um juiz britânico obrigou a rede social a revelar quem foi a pessoa que pediu para deletar o perfil do músico de jazz Mirza Krupalija, dois anos depois de sua morte. A informação é do site do jornal The Times.

O músico morreu em 2016, e o Facebook recebeu o pedido para deletar seu perfil seis meses depois. A remoção da página de sua banda, Kaiten, também constava na solicitação. A família nega que tenha feito o pedido.

A esposa de Krupalija, Azra Sabados, passou um ano conversando com o Facebook para resolver a questão e, depois, decidiu mover uma ação judicial. De acordo com a BBC, o Facebook têm 21 dias para responder. A rede social não comentou o caso.

No pedido enviado ao juíz, Sabados justifica que perdeu momentos importantes com a exclusão indevida do perfil, como mensagens e fotos que pertenciam ao seu marido. De acordo com o The Times, Sabados alegou que a perda do material foi como se seu marido tivesse "morrido uma segunda vez".

"O perfil do Mirza tinha as nossas viagens, nossas fotos, músicas que ele compartilhou comigo e com os seus amigos, e seu perfil dizia que ele ainda estava em um relacionamento comigo", afirmou Sabados à BBC. A esposa criticou o Facebook, e disse que a equipe da rede social poderia ter mandado um e-mail à ela para checar a solicitação, antes de deletar o perfil.

Por meio de um site de financiamento coletivo lançado há 10 meses, Sabados está tentando pagar os gastos gerados pela ação judicial. A mobilização também envolve uma petição que tem hoje mais de 1400 assinaturas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo