Russos cultivam "bigodes da esperança" como mandinga para seleção deslanchar na Copa

Campanha em que usuários das redes sociais aparecem bigodudos em homenagem ao técnico Stanislav Cherchesov foi criada para apoiar a equipe, após série de derrotas às vésperas do mundial.

Por Ricardo Senra - @ricksenra - Enviado especial da BBC News Brasil a Moscou

"Todos os bigodudos são bem-vindos nos estádios", disse nesta quarta-feira o técnico da seleção russa, Stanislav Cherchesov, famoso nacionalmente pelo conjunto de pelos que ostenta entre o nariz e a boca.

Pela primeira vez, Cherchesov comentava uma campanha que tomou conta das redes sociais no país na tentativa de ajudar a seleção nacional a deslanchar, após uma série de derrotas às vésperas da Copa do Mundo.

O mundial começa nesta quinta-feira em Moscou e terá os anfitriões dando largada aos jogos, na partida de estreia, contra a Arábia Saudita.

Há pelo menos uma semana, após o chamado de um popular apresentador de TV, milhares de russos e russas vêm postando fotos com bigodes nas redes sociais em homenagem ao técnico da seleção.

102018230ba1d9274635b43b7a2e6392fae85b02b-9cf758aa0954ede527f1c65a61d20579.jpg Stanislav Cherchesov, técnico da seleção russa; campanha nas redes sociais decolou após uma série de derrotas às vésperas da Copa / EPA

Até a publicação desta reportagem, quase 12,5 mil russos haviam usado a hashtag #усынадежды , ou "bigodesdaesperança", para divulgar seus pelos faciais – reais e falsos – no Instagram.

Sergey Muzikantov postou uma foto com a esposa e a filha bebê, todos bigodudos, e fez menção ao Brasil.

"Crianças, hoje, às 18h, nossos jogadores começarão uma performance triunfante na Copa do Mundo. Nós não somos o Brasil em termos de habilidade, mas temos esperança! Força no bigode!", escreveu o russo.

A campanha conquistou inclusive políticos conservadores, como o líder do Partido Democrático (LDPR) Vladimir Zhirinivsky, que publicou uma foto com um bigode falso tirada em seu gabinete.

"Precisamos apoiar nossa seleção apesar de todos os erros e problemas", escreveu o político em seu perfil no Instagram.

Mandinga

Na convocação para a "mandinga" nacional, o apresentador de TV Ivan Urgant disse que o técnico precisa de apoio maciço da população.

"Estamos lançando uma campanha em escala nacional para apoiar o time nacional de futebol russo", escreveu Urgan, curtido por mais de 40 mil pessoas.

"Tudo está contra ele: as previsões, o clima, as leis da física e a anatomia de alguns jogadores", continuou. "Pedimos a todos os espectadores que cultivem um bigode e divulguem suas fotos com bigode na rede social".

Nastya Podkovalihina publicou uma foto com as amigas – todas de bigode – na manhã desta quinta. "Decidimos apoiar a seleção de futebol russa! Esperamos que isso ajude vocês hoje!"

"A esperança é a última que morre", disse Alenka, outra russa que surgiu bigoduda nas redes.

Má fase

O time anfitrião da Copa do Mundo vem acumulando fracassos nos meses anteriores à abertura do mundial, que acontece nesta quinta-feira, em partida contra a Arábia Saudita.

Os russos perderam ou empataram em sete partidas consecutivas desde novembro de 2017.

Entre os adeptos da campanha está o ex-jogador Valery Karin, que postou uma foto com um bigode real pedindo "apoio ao time nacional".

Os jogos da Copa do Mundo começam nesta quinta-feira com a estreia no Estádio Luzhniki, em Moscou.

Ao todo, o mundial terá 32 equipes na disputa e duração de 32 dias.

Para o Brasil, será a 21ª Copa. O país é cabeça de chave do Grupo E e vai jogar contra a Suíça em sua primeira partida, marcada para domingo, dia 17 de junho.

Completam o grupo da seleção brasileira a Costa Rica e a Sérvia.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo