Delegacia especializada atende crimes contra a população LGBT em São Paulo

Por Metro Jornal

A 22ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo aconteceu no último domingo (3) na Avenida Paulista e reuniu pessoas dos quatro cantos do país. A manifestação contou com apresentações musicais de diversos artistas, como Anitta e Pabllo Vittar, e enfatizou a importância de alertar a sociedade sobre os crimes cometidos contra essa população.

O Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTs no mundo: uma a cada 19 horas, segundo o GGB (Grupo Gay da Bahia),  que levanta dados sobre assassinatos da população LGBT no Brasil há 38 anos.

Em São Paulo, desde 2006, a Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) permite o registro de denúncias contra homofobia e transfobia.

O órgão recebe queixas de crimes de injúria, difamação e agressão via e-mail, telefone ou presencialmente, onde a vítima é acolhida e recepcionada por profissionais especializados. A unidade é preparada para orientar e encaminhar, quando necessário, essas pessoas a demais serviços públicos.

Vale ressaltar que todas as delegacias do Estado de São Paulo estão preparadas para receber esse tipo de denúncia. Basta a pessoa ir até unidade mais próxima do ocorrido ou de sua residência para fazer o registro.

Delegacia Eletrônica

O site da Secretaria de Segurança Pública oferece um campo de registro de Boletim de Ocorrência Eletrônico. Tanto o presencial quanto o online, é possível incluir o nome social, no caso de travestis, mulheres transexuais e homens trans, e como homofobia e transfobia como “Provável Motivação do Crime”.

Saiba mais:

Decradi – Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância
Rua Brigadeiro Tobias, 552 – Centro, São Paulo – SP
Segunda à sexta, 09h às 19h
Para denúncias ou orientações: [email protected] / (11) 3311-3555
Também é possível acessar através do site da Polícia Civil de São Paulo: www.policiacivil.sp.gov.br

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo