Entenda o que os caminhoneiros querem para que a greve acabe

Por Metro Jornal com Band News FM

A greve dos caminhoneiros não terminará até que o corte do PIS e da Cofins sobre o diesel seja publicado no Diário Oficial da União.

O posicionamento é do presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes.

Ele afirma que a aprovação da medida na Câmara não é o suficiente para a categoria confiar no governo.

O corte nos juros ainda precisa ser aprovado pelos senadores, antes que seja encaminhado para sanção presidencial.

Em entrevista à BandNews FM, Fonseca afirma que não existe outra forma de encerrar a greve, a não ser a publicação oficial.

Segundo o presidente da Abcam, a categoria está "vacinada" contra as medidas protelatórias do governo.

"A medida que tem de ser tomada é essa: publicou no Diário Oficial, acabou", afirma.

Assim que a paralisação for suspensa, o abastecimento do país não será normalizado em pouco tempo.

O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros calcula pelo menos uma semana para que a rotina seja retomada.

Segundo José da Fonseca Lopes, a categoria também exige a mudança da política de reajustes da Petrobras.

"O governo tem que encontrar uma forma de fazer isso mensalmente, ou trimestralmente", aponta. "Mas não vai se discutir isso parado: resolvendo o problema do PIS/Cofins e da Cide, voltaremos ao trabalho", completa.

A greve nacional dos caminhoneiros chegou hoje ao quarto dia.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo