O que sai mais barato: alugar um carro ou chamar um 'Uber'? Resultado pode te surpreender

Por Metro Jornal

É quase consenso entre analistas que no futuro o carro próprio vai acabar ou diminuir muito. A economia compartilhada chegou à mobilidade urbana e parece fazer mais sentido para as novas gerações, que têm prioridades diferentes das anteriores.

Para se ter uma ideia, segundo pesquisa feita pelo Denatran, o número de habilitações no país caiu 53% entre 2013 e 2015; é claro que, além do interesse em si por dirigir, fatores como custos para se adquirir e manter um carro têm um peso importante nessa equação, entre os quais estacionamento e garagem – o Plano Diretor da cidade de São Paulo aprovado em 2014, por exemplo, encarece os apartamentos com vagas.

Os desincentivos ao transporte individual tal qual o conhecemos hoje parecem ser tendência de políticas públicas, e é natural que com isso os preços para se adquirir e manter um carro aumentem.

É nesse contexto que as alternativas vêm à tona, contrapondo principalmente aluguel e os já populares apps de compartilhamento de carros. Sua vantagem consiste no fato de que os custos fixos – IPVA, seguro, manutenção, DPVAT – e alguns variáveis são na prática rateados entre todos os usuários, e “paga-se o quanto se usa”. Mas quais os limites dessa conta?

Para tentar ajudar a fazer esta conta, a plataforma de descontos Cuponation desenvolveu um infográficointerativo explicando quando vale a pena você alugar um carro, ou simplesmente sacar o celular do bolso para chamar um "Uber". Confira:

Para saber mais sobre o estudo, clique aqui.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo