Reconstituição do assassinato de Marielle dura mais de 5 horas

Por Metro Jornal com BandNews FM

A reconstituição do caso Marielle Franco durou mais de 5 horas no Estácio, na Região Central do Rio de Janeiro, onde a vereadora do Psol e o motorista Anderson Gomes foram executados há quase dois meses.

Para dar veracidade à simulação, houve rajadas de tiros de diferentes calibres, que começaram às 2h50 e só terminaram por volta das 4h15 desta sexta-feira.

Responsável pelas investigações, o delegado da Divisão de Homicídios Giniton Lages falou na abertura dos trabalhos que a reprodução é importante para confrontar as versões dos depoimentos, já que não há imagens de câmeras de segurança no local exato, onde o carro de parlamentar foi metralhado no dia 14 de março.

Mantendo a linha de sigilo sobre o caso, o chefe da Polícia Civil, Rivaldo Barbosa, não revelou muitos detalhes, nem os próximos passos, ou se haverá novos depoimentos.

A viúva da vereadora, Mônica Benício e o amigo e companheiro de partido, deputado estadual Marcelo Freixo, do Psol, acompanharam a reconstituição que começou por volta das 22h.

+ Várias ruas foram interditadas com sacos plásticos pretos para isolar a área.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo