Morre cientista australiano de 104 anos por suicídio assistido na Suíça: 'estou feliz por ter a possibilidade de acabar com isso'

Por Victória Bravo

O cientista David Goodall de 104 anos teve seu desejo cumprido e na manhã desta quinta-feira (10), pode ter um suicídio assistido.

A morte foi confirmada pela clínica Exit International, instituição que ajuda pacientes a morrer na Suíça, onde o procedimento é legal.

Goodall viajou da Austrália até a Europa para poder receber ajuda, já que no seu país natal o procedimento é ilegal.

O pesquisador recebeu uma doação de US $ 20.000 coletados através do GoFundMe para conseguir realizar o suicídio.

Goodall não sofria de uma doença terminal, mas afirmou que sua qualidade de vida se deteriorou significativamente nos últimos anos e é por isso que ele queria morrer.

“Eu não quero mais viver”, disse Goodall a dezenas de jornalistas e equipes de televisão em um pequeno quarto de um hotel em Basel (norte da Suíça).

“Estou feliz por ter a possibilidade de acabar com isso e agradeço a ajuda da profissão médica que torna isso possível”, acrescentou.

O homem queria morrer enquanto ouvia "Ode à Alegria", o último movimento da Nona Sinfonia de Beethoven, na companhia de seu neto Daniel.

No suicídio, o homem de 104 anos abriu uma válvula com uma substância letal.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo