MDB virou quadrilha organizada e precisa ser desmontada, diz Ciro Gomes

Por band.com.br

Pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes disse que “não quer negócio” com a “quadrilha do MDB” em sua coalizão. Em entrevista ao programa Band Eleições, que foi ao ar nesta segunda-feira, 7, Ciro disse que o partido se tornou uma quadrilha organizada que precisa ser desmontada. “[O MDB] não tem responsabilidade nenhuma com o povo e só vive de destruir governos”, afirmou.

O pré-candidato citou Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) como exemplos de “testas de ferro” do MDB. “O FHC se desmoralizou tanto que nunca mais o PSDB venceu uma eleição nacional. E o PT? Olha o que está acontecendo com o PT (…) Dê centralidade à quadrilha do MDB e você vira corno.”

No programa, Ciro também falou de suas ideias de governo que, segundo ele, terá início com um ajuste fiscal cuja pretensão é diminuir impostos dos mais pobres e aumentar nas classes mais ricas. “A esquerda moderna sabe que o Estado só tem capacidade de mudar a vida das pessoas se o Estado tiver grana para isso”, explicou.

“Existem dois impostos óbvios que o mundo inteiro cobra, menos o Brasil: o tributo sobre lucros e dividendos – quero colocar isso em debate, e a questão das heranças. A maioria dos estados cobra 4% sobre as grandes heranças. Os Estados Unidos, país do capitalismo, cobram 29%; nas grandes heranças a cobrança chega a 45%.”

Fernando Mitre, Julia Duailibi, Ciro Gomes e Rafael Colombo (Foto: Lia Garcia/Band) Fernando Mitre, Julia Duailibi, Ciro Gomes e Rafael Colombo (Foto: Lia Garcia/Band)

O pré-candidato também falou sobre a questão da Previdência Social. “Não dá mais para pedir sacrifícios ao trabalhador e nem ao servidor público como o professor ou o médico, mas, é preciso lembrar que, no Brasil, 2% dos beneficiados levam 1/3 de tudo, que são os magistrados, governadores…”, exemplificou.

Segundo Ciro, o sistema previdenciário do jeito que está não funciona mais. Para ele, o sistema precisa levar em conta a idade mínima por região e por setor. “A expectativa de vida do trabalhador rural não é a mesma que um trabalhador intelectual de ar condicionado da cidade”, disse.

O nome do PDT para essa eleição quer ainda “negociar no atacado” a Reforma da Previdência e chamar o povo diretamente para votar. “Não acho justo cobrar essa questão da Previdência do deputado, que vai precisar se opor com corporações ultrapoderosas. Eu também o entendo.”

Reforma Trabalhista

Ciro Gomes apontou ainda que vai revogar a Reforma Trabalhista que foi proposta por Michel Temer (MDB) e aprovada em seu governo. “Vou revogar pela aberração que representa, e não porque tenho medo de reformas. Pelo contrário, vou propor outra reforma, uma mais moderna, com valores que irão de fato proteger os trabalhadores e oferecer segurança jurídica e econômica.”

Ciro Gomes é entrevistado na bancada do Band Eleições Ciro Gomes é entrevistado na bancada do Band Eleições / Lia Garcia/Band

O pré-candidato afirmou que não tem medo de se posicionar contra a atual Reforma Trabalhista ainda que sua posição “não caia bem para uma fração do mercado que tem raiva da Princesa Isabel”, ironizou o pedetista, ao mencionar a princesa que promoveu a abolição da escravidão no Brasil.

“O capitalismo precisa de consumo de massa. No Brasil, temos mais de 13 milhões de desempregados e 37 milhões empurrados para a informalidade. Precisamos abrir o olho para isso.”
Ciro Gomes também se posicionou contra vender empresas nacionais para o mercado estrangeiro. “Nenhum país civilizado do mundo entrega sua potência, como campos de petróleo. Eu tenho avisado o investidor estrangeiro que não venha comprar porque, se eu for presidente, as empresas vão voltar para a administração do Brasil e com devidas indenizações”, pontuou.

Band Eleições

O programa semanal foi exibido nesta segunda-feira, à 00h25, e apresentado pelo jornalista Rafael Colombo. Para entrevistar o convidado, a bancada contou com as participações dos jornalistas Fernando Mitre e Julia Duailibi. O Band Eleições será reexibido às terças-feiras no BandNews TV e na Rádio Bandeirantes.

Veja a entrevista na íntegra:

Parte 1

Parte 2

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo