O que os bombeiros recomendam para prevenção de incêndios em prédios e casas

Por Metro Jornal

Nesta semana, São Paulo amanheceu em silêncio. Um incêndio de grandes proporções atingiu um prédio no coração da cidade, o Edifício Wilson Paes de Almeida, no Largo do Paissandu, na última terça-feira (1º), Dia do Trabalho.

O depoimento de uma das moradoras à polícia apontou que o fogo teve início após um curto-circuito em seu apartamento, no quinto andar. Mais tarde, o secretário de Segurança Pública, Mágino Alves, confirmou que três aparelhos estavam conectados em uma mesma tomada, o que teria superaquecido os fios e provocado o incêndio.

Outros fatores agravaram a situação do edifício, como a falta de estrutura que garantisse condições mínimas de segurança contra incêndios. Havia problemas nas instalações elétricas e lixo espalhado no fosso dos elevadores.

Desde então, o debate começou: o que (ou quem) poderia ter evitado o incêndio? No site do Corpo de Bombeiros, há uma cartilha com orientações sobre como agir em situações de perigo como essas, além de medidas para evitar que elas aconteçam. Veja o documento completo aqui.

Recomendações preventivas contra incêndio e acidentes:

Não use cestos de lixo como cinzeiros

 Não jogue pontas de cigarro pela janela, nem as deixe sobre armários, mesas e prateleiras;

Não fume ao lidar com álcool, cera, parafina, solventes ou material de limpeza em geral;

Respeite as proibições de fumar e acender fósforos em locais sinalizados;

Evite o acúmulo de lixo em locais não apropriados;

Coloque os materiais de limpeza em recipientes próprios e identificados;

 Materiais inflamáveis devem ser armazenados em locais resguardados e à prova de fogo;

Não deixe os equipamentos elétricos ligados após sua utilização. Desconecte-os da tomada;

Ao utilizar materiais inflamáveis, faça-o em quantidades mínimas, armazenando-os sempre na posição vertical e na embalagem original, que contem normas de segurança para seu uso;

Não improvise instalações elétricas, nem efetue consertos em tomadas e interruptores sem que esteja familiarizado com isso;

Não sobrecarregue as instalações elétricas com a utilização de “plugues T” ou extensões. Procure um profissional com conhecimento técnico.

Segurança em edifícios

No caso específico de quem mora em prédios, o Corpo de Bombeiros faz uma série de orientações caso o edifício seja foco de incêndio. A ordem é sair do local imediatamente, de preferência rastejando e com um pano molhado sobre as vias respiratórias. Nunca utilize o elevador — o fogo pode provocar o corte de energia e você poderá ficar preso na cabine.

Procedimento abandono prédio incêndio Fonte: Corpo de Bombeiros / Reprodução

Eletricidade

Como no caso do edifício que pegou fogo e desabou nesta semana, instalações elétricas desatualizadas podem representar um risco aos moradores. A corporação também faz uma série de recomendações relacionadas à estrutura. Veja:

Não ligue mais de um aparelho elétrico na mesma tomada;

 Não utilize fios elétricos descascados ou estragados. Quando encostam um no outro, provocam curtos-circuitos e faíscas, que podem ocasionar um incêndio.

De tempos em tempos, faça uma revisão nos fios dos aparelhos elétricos e na instalação elétrica da sua casa;

Se algum aparelho elétrico ou tomada apresentar defeito, não pense duas vezes para mandar consertá-los;

Não faça ligações provisórias. A fiação deve estar sempre embutida em eletrodutos. Os quadros de distribuição devem ter disjuntores. Se os dispositivos de proteção ainda forem do tipo chave-faca, com fusíveis cartucho ou rolha, substituaos por disjuntores;

Caso note aquecimento dos fios, desarmamento de disjuntores, queima de fusíveis, chame um técnico qualificado para fazer uma revisão.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo