Prefeitos do PSDB criticam a expulsão de Gabriel Maranhão

Por Metro Jornal ABC

Prefeitos pelo PSDB na região lamentaram nesta terça-feira a desfiliação imposta pelo diretório estadual do partido ao prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão. A decisão foi anunciada anteontem pelo presidente da sigla no Estado, deputado Pedro Tobias, após declarações públicas do prefeito em apoio a Márcio França (PSB) na disputa ao governo.

Apesar de ter ocupado a posição de vice-governador do tucano Geraldo Alckmin neste mandato e de ter assumido a cadeira com a saída dele para concorrer à Presidência, França se tornou opositor nas urnas ao candidato do PSDB, João Doria.

O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), disse apoiar o nome de Doria, mas considerou “drástica” a decisão do partido. “Acho a expulsão do prefeito Gabriel Maranhão extremamente injusta no momento que você tem uma série de lideranças do PSDB que não estão apoiando a candidatura oficial do partido. Coloco aqui a minha solidariedade a ele.”

Membro da executiva do partido, o prefeito de Santo André, Paulinho Serra (PSDB) afirmou discordar da expulsão. “É um equívoco do partido. Tudo tem que ser dialogado. Não vou discutir o mérito, mas questiono o procedimento formal. O partido teria que dialogar. É uma opinião pessoal, não como membro da executiva do PSDB: foi uma atitude precipitada do presidente Pedro Toledo”, disse.

Já o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), também lamentou a decisão, mas ponderou que ela era esperada. “Eu intercedi por ele no PSDB na época da Dilma (Maranhão declarou apoio à candidata do PT em 2015). Agora fica difícil por conta da reincidência. Lamento, mas não poderia ser diferente. Quem está no partido tem que seguir as previas.”

O Metro Jornal não conseguiu localizar Maranhão para comentar a expulsão.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo