Entenda a diferença entre gripe e resfriado

Por Metro Jornal

A campanha nacional de vacinação contra a gripe começou nesta segunda-feira (23). Na cidade de São Paulo, a meta é vacinar 10,7 milhões de pessoas — cerca de 90% da população-alvo.

Estar atento aos primeiros sintomas é fundamental para o tratamento. Entre os mais comuns estão tosse seca, fadiga, febre alta, coriza e dor muscular. Ao sentir qualquer um desses indicadores, procure um médico.

Leia mais:
Veja mitos e verdades sobre a gripe
Chás que aumentam a imunidade e combatem gripes e resfriados

Apesar dos pacientes apresentarem sintomas semelhantes aos de um resfriado, provocado pelo rinovírus, é importante entender as particularidades da doença. No caso da gripe, causada pelo vírus Influenza, os sintomas geralmente aparecem de forma mais agressiva. Além disso, os surtos são mais frequentes no inverno ou em períodos mais frios.

Nesta primeira etapa da campanha, serão priorizados diferentes grupos populacionais, a começar por pessoas com mais de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, mulheres que deram à luz há no máximo 45 dias, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Isso quer dizer que quem estiver dentro desses perfis poderá tomar a dose da vacina gratuitamente. Entretanto, mesmo quem não fizer parte do público-alvo pode procurar a imunização na rede particular de saúde.

Veja o calendário:

  • A partir do dia 23 de abril: Trabalhadores de saúde, pessoas com idade de 60 anos e indígenas;
  • A partir de 2 de maio: Crianças com idade maior que 6 meses e menor que 5 anos, gestantes, puérperas com até 45 dias após o parto;
  • A partir de 9 de maio: Pacientes diagnosticados com doenças crônicas, professores e outros;
  • Dia D: dia 12 de maio, para todos os grupos do público-alvo.
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo