Santo André recua e promete reabrir UPA da perimetral

Prefeitura pensou em fazer Unidade de Saúde da Família em prédio na perimetral, mas não recebeu aval

Por Eliane Quinalia

A Prefeitura de Santo André recuou de uma posição anunciada no início da gestão de Paulinho Serra (PSDB) e promete reabrir a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Centro, que fica na parte de cima da perimetral e foi desativada em maio de 2016 pela gestão anterior.

No começo do ano passado, o governo anunciou que o equipamento, até então da rede de urgência e emergência, seria transformado em USF (Unidade de Saúde da Família), neste caso da atenção básica. No entanto, a alternativa foi descartada  na época pelo Ministério da Saúde, que apontou possível ilegalidade caso houvesse mudança do objeto (perfil de atendimento) do projeto.

O descumprimento da diretriz do governo federal implicaria na devolução do recurso utilizado para construção da unidade, que foi feita ainda no governo Aidan Ravin (PSB).

Com a possível reabertura, a unidade não só auxiliará a todos os equipamentos da rede municipal de saúde, segundo a prefeitura, como especialmente o CHM (Centro Hospitalar Municipal), praticamente vizinho à unidade fechada desde 2016.

A ideia do governo é fazer da UPA Centro retaguarda do hospital, a fim de desafogar parte do atendimento do pronto-socorro do complexo hospitalar, de acordo com médicos ouvidos pela reportagem. A informação foi confirmada pelo prefeito.

Quando a unidade foi fechada pela gestão Carlos Grana (PT), a justificativa para a desativação foi que a reabertura da UPA Central (antigo PS Central), após reforma e ampliação, absorveria o atendimento, já que ficava nas proximidades e faria o mesmo tipo de serviço. O governo petista chegou a propor oferecer atendimento de especialidades no local, o que não saiu do papel.


A espera do ministério

Em nota, a administração municipal informou que a “UPA Centro será reformada e entregue à população com o padrão Qualisaúde”. Neste momento, a prefeitura disse aguardar o posicionamento do Ministério da Saúde quanto ao pedido de recredenciamento do equipamento.

Quanto à retomada dos serviços no local, o governo disse que “somente após a resposta do órgão federal é que será possível estimar o prazo para que o espaço volte a funcionar “.

O Ministério da Saúde informou que a Secretaria de Saúde de Santo André enviou, em janeiro deste ano, ofício solicitando o cancelamento do pedido de descredenciamento e pedindo para permanecer com o serviço da UPA Centro.  

Unidade sofre vandalismo

Fechada há quase dois anos, a UPA Centro sofre com vandalismo, como pichações e danos em portas e janelas. O prédio não é vigiado por seguranças, o que facilita ações ilegais no local.

A prefeitura informou que a GCM (Guarda Civil Municipal) realiza rondas setorizadas no bairro, com viaturas da Romo (Rondas Ostensivas com Motocicleta) e Romu (Rondas Ostensivas Municipais).

“Se constatado algum ilícito criminal, a corporação conduzirá os envolvidos para a delegacia da área onde a autoridade de plantão tomará as providências cabíveis”, afirmou a administração municipal em nota.

Capacidade

Quando estava em funcionamento, o equipamento de saúde tinha capacidade para realizar cerca de 300 atendimentos de urgência e emergência por dia. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo