Entrega de escola em São Caetano, em SP, está atrasada em três meses

Por Metro ABC

Com o ano letivo iniciado em 15 de fevereiro na rede municipal de ensino de São Caetano do Sul, a prefeitura não conseguiu entregar em dezembro, prazo oficial de conclusão da obra em placa de divulgação, a Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) Professora Telma Silvia de Aguiar Brito, localizada  na rua Nazareth, 125, esquina com a rua Saldanha Marinho (próxima à avenida Kennedy), no bairro Santa Paula. A unidade escolar terá capacidade para 180 crianças.

Leia mais:
Biblioteca de SP que fica no antigo espaço do Carandiru concorre a prêmio internacional
O que Doria deixou para trás quando saiu da Prefeitura de São Paulo

A obra teve início na gestão municipal passada e foi paralisada ainda em 2016. O atual governo retomou no ano passado, com o objetivo de entregá-la até dezembro, antes do início das aulas. Agora, a nova data para a entrega é a segunda quinzena deste mês. O custo do investimento foi de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

A prefeitura admitiu que “houve, de fato, atraso nas obras na parte externa por conta das chuvas”, mas que a “área interna já está pronta”. A reportagem esteve no local por duas vezes e homens ainda executavam serviços no interior da unidade.

Atraso à parte, a correria para entrega da unidade de ensino nos próximos dias se dá em razão do ano letivo já estar em curso. Até o momento, segundo a Secretaria de Educação, há 130 crianças inscritas na nova escola, mas ainda não matriculadas.

Desse total, um pouco mais da metade – a prefeitura não informou o número exato ao ser questionada – está recentemente alocada no Lar Samaritano da Mãe Operária, uma das três creches conveniadas e instalada no centro da cidade.

A prefeitura disse que fez o convite e deixou a critério dos pais em deixar ou não os filhos na creche até o término das obras, sob supervisão da equipe da nova escola.

Embora a administração tenha informado, em nota, que “não existe déficit educacional em São Caetano”, pelo menos 130 crianças aguardavam, no início deste ano, por vagas.

Finlândia serviu de inspiração ao projeto

A Emei  (Escola Municipal de Educação Infantil) Professora Telma Silvia de Aguiar Brito, que será entregue neste mês em área de 500 metros quadrados, foi inspirada  no modelo de construção finlandês, com materiais práticos e de fácil limpeza, segundo o secretário de Obras e Habitação de São Caetano, o arquiteto Enio Moro Junior.

“Esta escola representa um marco na construção de prédios públicos com fins educacionais”, afirmou o titular da Pasta. Entre as benfeitorias, a unidade escolar terá sete salas de aula, solário, pátio coberto para atividades livres, cozinha toda feita em aço inox e jardim antirruído, com  vegetação densa na lateral da escola e ao longo da avenida Kennedy – os fundos do terreno.

Outro diferencial do projeto é a iluminação em LED, que garante economia de energia. Será a primeira escola da cidade a utilizar esse tipo de tecnologia.

A fachada da escola terá painel colorido assinado pelo artista Aleksandro Reis, de São Caetano, que retratou um aluno escrevendo.

Dos 20 mil alunos na rede municipal de ensino, cerca de 6,2 mil pertencem à educação infantil – hoje, são 22 Emei, 16 Emis (Escolas Municipais Integradas) e três creches conveniadas. Mais 20 Emefs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo