Alckmin vai inaugurar 5 hospitais antes de sair do cargo

Por Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pré-candidato à Presidência da República, programou a inauguração de cinco novos hospitais até o dia 5 de abril, informou nesta terça-feira, 27, o secretário estadual da Saúde, David Uip.

No próximo sábado (31), o governo inaugura o Hospital Regional de Sorocaba, no interior do Estado. Até o dia 7 de abril, o tucano deve deixar o cargo para a corrida presidencial. Alckmin está na manhã desta terça em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde assina convênio com o Hospital das Clínicas da cidade para atendimento e cirurgias de cardiopatias em recém-nascidos.

Na cerimônia para anunciar o convênio, Uip disse que a gestão de Alckmin está resolvendo dois dos grandes problemas do setor de saúde no País. O convênio, destacou, destinará R$ 22 milhões para a realização de 2,5 mil cirurgias cardiovasculares infantis por ano.

Além disso, o secretário anunciou que o governo estadual vai começar em São Bernardo do Campo um projeto-piloto para entregar remédios de alto custo autorizados pela Justiça através do Poupatempo. "Dando certo, lançaremos a ideia para o Brasil de como se faz isso com agilidade, propriedade e eficiência", disse o secretário.

A pré-candidatura de Alckmin à Presidência foi publicamente apoiada pelo prefeito Orlando Morando, na mesma cerimônia. "Pode ousar, se não agora depois como presidente, em trazer para São Bernardo do Campo projetos pilotos para a saúde", declarou. Ele agradeceu "o empenho e o apoio" de Alckmin na cidade, e aproveitou para fazer pedido de mais recursos. "O senhor está de saída, além de respeitar apoiamos sua decisão, mas temos aqui uma AME (Ambulatório Médico de Especialidades) que só falta um dinheiro, um chamego".

Tanto Uip como Morando criticaram a judicialização da saúde, reforçando que o governo gasta muito para atender a demandas de pacientes que recorrem à Justiça para conseguir medicamentos de alto custo.

Museu

Geraldo Alckmin também afirmou que o "próximo passo" do governo em São Bernardo do Campo será apoiar a mudança do Museu do Trabalho e do Trabalhador da cidade, conhecido com o "museu do Lula", em uma fábrica de educação e cultura.

"As coisas se fazem entre um passo e outro, o próximo passo tem que ser na Educação, na Cultura. O famigerado museu virará uma fábrica de educação e cultura para São Bernardo do Campo", disse o governador. O pedido de recursos para adequação do museu, cujas obras foram interrompidas após denúncia do Ministério Público na gestão do ex-prefeito Luiz Marinho (PT), foi feito pelo prefeito Orlando Morando.

Na cerimônia Morando exaltou a pré-candidatura de Alckmin à Presidência. "O que eu posso desejar e, no momento oportuno, colaborar é que o Brasil tenha sabedoria para desenhar um futuro melhor porque nosso presente ninguém suporta mais", declarou o prefeito. "O senhor é um bom gestor, bom político, eficiente, competente e determinado, o que posso pedir a Deus é toda a energia necessário para o senhor consertar esse País."

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo