Com risco de prisão, Lula tem chance final

Por Metro Jornal

O STF (Supremo Tribunal Federal) decide nesta quinta-feira, a partir das 14h, se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) poderá ou não recorrer em liberdade no processo do tríplex do Guarujá (SP), pelo qual já está condenado a 12 anos e 1 mês de prisão.
Esta é, em tese, a última chance do petista de se livrar da cadeia. Se perder este pedido de habeas corpus no Supremo, ele pode ser preso a partir da próxima segunda-feira, quando o TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) examina o último recurso de Lula naquele tribunal.
O caso ficará nas mãos da 8ª Turma do TRF4 (desembargadores João Gebran Neto, Victor Laus e Leandro Paulsen). Eles vão apreciar os embargos de declaração do ex-presidente, instrumento jurídico que pede esclarecimentos sobre o acórdão em que rafiticaram a sentença do juiz federal Sérgio Moro no caso do tríplex.
Se houver uma mudança no texto, ou se o TRF4 aceitar um último recurso – chamado de “embargo dos embargos” – a prisão pode ser adiada por mais alguns dias.
Por outro lado, se o texto for mantido por unanimidade, o extrato de ata é emitido no mesmo dia ou no dia seguinte. Com a informação em mãos, o juiz pode ordenar a prisão imediata. Lula deve cumprir pena em Curitiba, já que ainda responde a outros processos no Paraná – um sobre imóveis comprados pela Odebrecht e outro sobre o sítio de Atibaia (SP).

Defesa
No pedido de habeas corpus preventivo, a defesa do petista alega que o STF determinou que a prisão em segunda instância depende de cada caso, e que não há nada que justifique a prisão antecipada.

Visita ao colega
Em caravana pelo Rio Grande do Sul, Lula discursou na quarta-feira (22) em São Borja e visitou o túmulo de Getúlio Vargas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo