Cinco anos de Papa Francisco: curiosidades sobre o pontífice

Por Ansa

Desde que assumiu a liderança da Igreja Católica, ele já realizou 39 viagens, sendo 17 na Itália e 22 para o exterior. O Brasil foi o primeiro país a recebê-lo, para a Jornada Mundial da Juventude.

Além disso, Francisco recebeu 24 milhões de fiéis em suas audiências no Vaticano. Mais de 6,5 milhões visitaram-no em 2013, ano em que se tornou papa.

Confira cinco curiosidades sobre Jorge Mario Bergoglio, o papa Francisco:

1) O pontífice foi o primeiro em mil anos a se reunir com o patriarca ortodoxo russo, em uma reunião que ocorreu em fevereiro de 2016.
"Finalmente", exclamou o papa quando encontrou Cirilo I no aeroporto de Havana, em Cuba.

De acordo com o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, a reunião foi "um grande sinal de esperança", em um momento "que dá coragem e ânimo para continuar tentando construir mais relações de ponte, encontro e diálogo".

2) Em janeiro de 2018, o líder católico demonstrou mais um ato de bondade ao oficializar um casamento a 25 mil pés de altura.

O fato aconteceu durante sua visita ao Chile. Quando viajava de Santiago para Iquique, o papa foi surpreendido por um casal de comissários de bordo que pediu sua bênção.

A união de Carlo Ciuffardi e Paula Podest não havia sido oficializada na Igreja Católica, somente no civil. Isso porque o local em que realizariam a cerimônia religiosa foi destruído por um terremoto.

3) Em uma visita a Bangladesh, em dezembro de 2017, o papa defendeu a minoria rohingya que sofre perseguições pelo exército de Myanmar. "Peço perdão pela indiferença no mundo. Estou perto de vocês, sei que a situação é difícil. A presença de Deus hoje também se chama rohingya", disse aos 16 refugiados com quem se encontrou.

O termo rohingya é considerado um tabu em Myanmar, pois milhares de membros da minoria muçulmana fugiram do país por causa do extermínio cometido por militares birmaneses – em Myanmar, Francisco evitou usar essa palavra.

4) Em 2014, o papa foi mediador de um encontro entre Shimon Peres, então presidente de Israel, e Mahmoud Abbas, líder da Autoridade Nacional Palestina (ANP).

Durante a reunião, que foi organizada por Francisco, ambos garantiram que buscariam a paz no Oriente Médio o mais rápido possível.

5) Já no ano de 2015, o pontífice convidou o imã de Bangui a dividir com ele o papamóvel em uma visita à capital da República Centro-Africana.

O ato demonstrou respeito aos muçulmanos, já que grande parte dos habitantes da cidade segue a crença.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo