Ministro da Saúde fala sobre inclusão de 10 terapias alternativas no SUS

Por Café com Jornal

Em entrevista ao Café com Jornal, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, falou sobre a inclusão de 10 terapias alternativos na lista de cobertura do SUS. Ele disse que “nenhum centavo a mais será transferido para a atenção básica” e que “não há que se falar em aplicação de recursos públicos inadequados porque o financiamento já está posto”. Disse também que as pessoas não vão precisar escolher entre um tratamento e outro, e que essas práticas são “integrativas e complementares”.

Ricardo Barros disse que já havia 19 tratamentos alternativos na lista de cobertura do SUS e que, quando eles foram incluídos, não houve essa reação negativa por parte do Conselho Federal de Medicina. Ele afirmou que “não há interesse em confrontar a medicina tradicional”.

Leia mais:
‘Hoje eu sou segura’: atriz trans conta como foi realizar cirurgia pelo SUS

Sobre a febre amarela, Barros afirmou que no Brasil sempre houve uma média de “50, 80 mortes por ano” pela doença, mas que elas se concentravam na região Norte, onde há maior contato com a mata. Agora, segundo ele, houve um deslocamento por eventual mudança climática e que, por isso, é “fundamental a vacinação”. Segundo o ministro, o governo está fazendo um programa para garantir a imunização de toda população brasileira.

Ricardo Barros disse ainda que deve deixar o ministério até o próximo dia 27 e retornar à Câmara dos Deputados para disputar a reeleição. Sobre o sucessor, ele acha que o presidente Michel Temer “saberá escolher bem alguém para continuar esse trabalho que ele mesmo determinou que nós fizéssemos no ministério da Saúde”.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo