Modelo é ruim, diz gestor da Cidade da Criança em SBC

Por Metro Jornal ABC

A direção do Aquário de São Paulo, atual gestor da Cidade da Criança, em São Bernardo, diz apoiar mudanças no contrato vislumbradas pela prefeitura, mas ainda não sabe se participará de um novo processo para continuar na administração.

Na sexta-feira, o governo municipal publicou chamamento público para empresas apresentarem propostas de gestão do parque.

O diretor do Aquário de São Paulo, Anael Fahel, afirma que a empresa solicitou diversas vezes a alteração. “O atual modelo é muito ruim. Atuamos em contrato de permissão precária, sem segurança de até quando poderemos continuar aqui. Muita coisa da reforma e da administração fica fora da nossa gerência, nas mãos da prefeitura, o que também é ruim.”

Ele explica que banheiros e jardins, por exemplo, deveriam ser cuidados pela administração pública, mas o Aquário acabou assumindo os serviços.

A empresa administra as atrações desde 2010, quando a Cidade da Criança foi reaberta, em contrato assinado durante a gestão Luiz Marinho (PT).

“Não sei se vamos participar de uma nova licitação para continuar na administração. Mas se não ficarmos, com certeza aguardaremos até a entrada de uma nova empresa. A Cidade da Criança não será fechada. Temos muito carinho pelo espaço”, afirmou.

Segundo ele, o processo para escolha de novo gestão vai congelar novos investimentos no parque. Em julho do ano passado, nove brinquedos foram inseridos no equipamento, que conta com 35 atrações atualmente. próximo mês”, afirmou o diretor.

A Cidade da Criança completa em 2018 50 anos. Uma possível programação especial para a data também vai depender da decisão da prefeitura, segundo Fahel.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo