Feliciano critica ascensão de Pabllo Vittar e pessoas trans: 'eles não querem direitos, querem privilégios'

Por Metro Jornal

O deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP) utilizou seu Twitter para criticar o sucesso da cantora Pabllo Vittar. No vídeo, publicado na última sexta-feira (23), o também pastor argumentou que um suposto distanciamento da moral e dos bons costumes estaria sendo usado por grupos de comunicação que "aproveitam essas mazelas para projetar suas táticas, nomes para os representar, como já fizeram antes", referindo-se ao deputado Jean Wyllys (PSOL/RJ), que participou da quinta edição do Big Brother Brasil antes de entrar para a vida política.

Segundo Feliciano, "grupos defensores e propagadores da ideologia de gênero" estariam tentando eleger representantes "para produzir leis para defender a promiscuidade, cartilhas de ensinamento de sexo para nossas crianças, cotas em universidades para transexuais, transgêneros."

Citando as chamadas Bancada da Bíblia e da Bala — evangélica e da segurança pública, respectivamente —, o deputado se mostrou preocupado com "o risco" de ser criada uma bancada LGBT no Congresso Nacional. "Não se iluda: eles [pessoas trans] estão sendo alçados a uma categoria superior aos meros mortais nascidos com sexo definido, como alertei em 2013. Eles não querem direitos, querem privilégios", declarou.

A postagem gerou polêmica nas redes sociais. "Tenha bastante preconceito, depois vá à igreja que Jesus te perdoa", ironizou um internauta. Mas houve também quem defendesse o posicionamento do político: "Parabéns pela luta, pastor deputado. Eu também aqui em Salvador procuro fazer a minha parte combatendo tudo o que se levanta contra a família."

Veja o vídeo:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo