PM de São Paulo patrulhará Dutra e Fernão Dias

Ação é o primeiro resultado de pacto para evitar, segundo ministro da Justiça, ‘prováveis consequências’ da intervenção no Rio sobre os três Estados vizinhos

Por Metro Jornal São Paulo

A Polícia Rodoviária de São Paulo, ligada à PM (Polícia Militar), vai patrulhar e fazer operações, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, nas rodovias federais Dutra e Fernão Dias – que ligam a capital paulista a Rio e Belo Horizonte, respectivamente – como parte de uma ação conjunta entre Ministério da Justiça e as Secretarias de Segurança de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.

A operação foi anunciada pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, após reunião com os secretários Mágino Barbosa (São Paulo),  Sérgio Barboza Menezes (Minas Gerais) e André Garcia (Espírito Santo), em São Paulo.

Para Jardim, consequências da intervenção federal no Rio nos Estados vizinhos são “muito prováveis”. Mais até do que o risco de migração de bandidos, o temor é que o fluxo de armas e drogas seja alterado por causa da intervenção.

“A intervenção do Rio, se for bem-sucedida, trará consequências para os três Estados”, disse o ministro. “São os três vizinhos os primeiros a ser atingidos. Se a onda virar tsunami e for necessário, esse tipo de cooperação também será realizado com tantos outros Estados forem necessários.”

Os setores de inteligência da segurança dos três Estados, do Exército e do Rio vão trocar informações. Mágino disse que, em São Paulo, as unidades de elite das duas polícias, como os batalhões do Comando de Choque e os grupos de repressão a roubos serão envolvidas nas ações.

Jardim disse que será “uma cooperação política, financeira e operacional” e não descartou colocar verba federal. Mas não no caso do único convênio prático anunciado. Segundo o ministro, as ações da Polícia Rodoviária paulista na Dutra e na Fernão serão feitas com Orçamento estadual.

Em Brasília, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse ontem que é “plausível” que organizações criminosas migrem para outros Estados com a intervenção no Rio. “Onde há uma eficácia maior, o crime em certa medida migra. Há uma preocupação que a gente tem de cuidar para que não se corporifique.”

Espírito Santo começa

No Espírito Santo, começou  ontem uma operação especial de reforço de vigilância nas estradas que ligam o Estado ao Rio. O secretário André Garcia explicou à rádio Bandeirantes que a ação terá 150 policiais e 40 carros diariamente, além de drones e helicópteros para patrulhamento.   

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo