'Nós desarmamos o cidadão, mas não protegemos a população', diz presidente do Senado

Por Rádio Bandeirantes

“Nós desarmamos o cidadão, mas não demos condições ao estado brasileiro de proteger a população”.

É a opinião do presidente do Senado, Eunício Oliveira, que defende o debate sobre a flexibilização do porte de armas no Congresso.

Projetos de lei que alteram ou até revogam o Estatuto do Desarmamento têm avançado nos últimos meses.

Leia mais:

Viúva de sargento morto em arrastão no Rio faz homenagem emocionante
Facebook pode ter que pagar multa de R$ 4 milhões à Justiça brasileira

Um texto que pode ser analisado na CCJ do Senado propõe a redução da idade mínima para compra de armas, que passaria dos atuais 25 para 18 anos.

Eunício Oliveira afirmou que o tema Segurança Pública entrou de vez na pauta dos parlamentares.

 Entrevistado na Rádio Bandeirantes, Eunício Oliveira diz ser favorável à intervenção militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro.O Senado aprovou a ingerência por 55 votos a 13.

Para o presidente do Congresso, a área da Segurança Pública, assim como Saúde e Educação, é atribuição federal. A intervenção foi assinada pelo presidente Michel Temer na última sexta-feira.

A medida passou a vigorar imediatamente, mas, para continuar valendo, precisava do aval da Câmara e do Senado. Eunício Oliveira conversou com José Paulo de Andrade, Salomão Ésper, Rafael Colombo e Pedro Campos no Jornal Gente.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo