Pacientes de Hospital em Santo André são contaminados por alumínio

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

Pacientes do Hospital Estadual Mario Covas, em Santo André, no ABC, são contaminados por alumínio em procedimentos de hemodiálise.

Segundo familiares ouvidos pela RB, a suspeita surgiu após os pacientes passarem mal com frequência durante o tratamento.

A mãe de Kátia Almeida teve comprovado um índice muito alto do metal no corpo: 152 microgramas por litro de sangue.

Katia relata que, antes de descobrirem a intoxicação, reclamações foram feitas, mas a equipe médica demorou para constatar o problema.

Altas concentrações de alumínio no corpo causam formigamento, dores, e principalmente, problemas neurológicos, como convulsões, perdas de raciocínio e paralisações permanentes do corpo.

Em pacientes crônicos renais, a possibilidade de intoxicação é maior, já que a durante a hemodiálise o alumínio da água comum pode ficar retido no sangue.

Segundo o coordenador do Centro de Toxicologia do Hospital das Clínicas, Antony Wong, a contaminação só ocorre quando o tratamento é ineficiente.

O Hospital Estadual Mário Covas admitiu à Rádio Bandeirantes a contaminação, mas não informou quantos pacientes foram intoxicados.

Em nota, informou ainda que a análise da água usada na hemodiálise é feita regularmente e o tratamento dos pacientes intoxicados já foi iniciado.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo