Febre amarela: Para secretário, baixa procura em SP está relacionada com 'efeitos adversos da vacina'

Por Metro Jornal com Band News FM

A prorrogação por mais duas semanas da campanha de vacinação contra a febre no Estado de São Paulo – incluindo a realização de mais dos chamados dias "D" de campanha – é a estratégia da Secretaria para aumentar o número de imunizados.

Em entrevista à BandNews FM, o secretário estadual da Saúde, David Uip, afirma que a ideia é vacinar toda a população no menor prazo de tempo possível.

Uip disse que o objetivo principal de todo o esforço é impedir que a febre amarela "se urbanize" – desde a década de 40, apenas casos silvestres da doença são registrados.

Nos últimos dias, houve uma redução na procura pela vacina nos postos de saúde, ao que o secretário atribui a um ambiente de "intranquilidade".

A principal justificativa apontada por ele para tal são os efeitos adversos da vacina.

Uip pondera que "a vacina tem problemas, mas é segura; o risco de uma complicação grave é de um para um milhão no caso do Estado de SP."

Outras duas causas seriam a dúvida das pessoas em relação à eficácia da dose fracionada – "competente e de "grau de proteção adequado" – e as campanhas "inexplicáveis" difundidas na internet contra a aplicação da vacina.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo