Desfile no Sambódromo de SP tem homenagens a Alcione e Gilberto Gil

Por Band.com.br
Fotoarena/Folhapress
Desfile no Sambódromo de SP tem homenagens a Alcione e Gilberto Gil

Na segunda noite de desfiles do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, mais sete escolas percorreram a avenida do Sambódromo do Anhembi, neste sábado (10), animando os foliões com muito samba, cores e artistas famosos.

Leia mais:
Carnaval de SP tem homenagem a samba, reggae e sertanejo
Carnaval: veja as fotos do primeiro dia de desfile no Sambódromo de SP

Campeã do Grupo de Acesso, a X-9 Paulistana abriu o segundo dia de desfiles revelando as origens de ditos populares como "rodar a baiana" e "Casa da Mãe Joana". A madrinha Tarine Lopes teve problemas com o tapa-sexo, que caiu no meio do desfile e ela precisou percorrer a avenida segurando a peça com a mão.

A agremiação Império de Casa Verde falou das injustiças na sociedade ao citar a Revolução Francesa e fazer um paralelo com o Brasil atual. A escola ainda juntou o samba e o rap ao convidar Edi Rock, do Racionais MC’s, para participar do enredo. Brilharam na avenida a rainha Valeska Reis e a madrinha Lívia Andrade, que se fantasiou de Maria Antonieta.

Celebrando Alcione, a escola Mocidade Alegre levou a sambista para a avenida, que cantou Não Deixe o Samba Morrer no esquenta e depois subiu no carro alegórico que atravessou o Sambódromo do Anhembi. Além de fantasias inspiradas em sucessos da cantora, teve muito verde e rosa, as cores da Mangueira, escola carioca de coração de Alcione.

Quarta escola a percorrer o Anhembi, a Vai-Vai apresentou um enredo em homenagem ao ícone da MPB Gilberto Gil. O cantor participou do desfile e apareceu no último carro alegórico, junto com a mulher, Flora Gil. Algumas alegorias representaram momentos marcantes da vida do artista, como a resistência nos tempos de ditadura militar e o exílio político em Londres. A bateria da agremiação inovou usando timbal, em referência aos Filhos de Gandhi, bloco de afoxé tradicional de Salvador. Outro destaque, a Miss Brasil 2017, Monalysa Alcântara, desfilou no abre-alas.

A Gaviões da Fiel levou para o Sambódromo do Anhembi as origens do município de Guarulhos. Para contar essa história, a agremiação falou dos índios Guarus, nativos da região. O desfile da Gaviões foi recheado de musas: a rainha de bateria Sabrina Sato, Ana Paula Minerato como destaque de chão e também Fernanda Lacerda, a Mendigata.

Dragões da Real trouxe a música caipira para seu samba no segundo dia de desfiles no sambódromo de São Paulo. Grandes nomes do estilo, como Roberta Miranda e Sérgio Reis, participaram da apresentação. No enredo, houve menções a canções conhecidas como Romaria, Galopeira e Ainda Ontem Chorei de Saudade.

Fechando a segunda noite de desfiles, a Unidos de Vila Maria levou as cores e a cultura do México para São Paulo. Destaque para a bateria fantasiada do personagem Chaves e a ala de baianas vestidas como a pintora Frida Kahlo. A madrinha Dani Bolina também brilhou na avenida. A porta-bandeira Laís Moreira, porém, teve um problema com a fantasia e acabou desfilando de bermuda por um período.

Loading...
Revisa el siguiente artículo