Colégio demite funcionário que fazia sexo em grupo ao ar livre em parque

Por Metro Jornal
Caso ocorreu no Parque da Cidade, em Brasília - Reprodução/Google Street View
Colégio demite funcionário que fazia sexo em grupo ao ar livre em parque

Um tradicional colégio de Brasília decidiu demitir um orientador de ensino religioso após ele ter sido flagrado fazendo sexo ao ar livre, com um grupo de pessoas, no Parque da Cidade.

Uma reportagem do portal Metrópoles, publicada no dia 27 de janeiro, utilizou uma câmera escondida para mostrar que a prática de sexo em grupo no local era algo frequente. Após a notícia, a escola recebeu denúncia de que o catequista estava entre os homens que transavam sem nenhum pudor no parque.

O funcionário admitiu que era ele nas imagens e foi demitido por justa causa porque o colégio considerou a conduta dele, que lidava com crianças de sete a 12 anos, incompatível com os valores pregados pela instituição. Ele dava aulas de canto e iniciação religiosa.

O CPB (Código Penal Brasileiro) define a prática de obscenidade em lugar público ou exposto ao público como crime. A detenção pode variar de três meses a 1 ano, além do pagamento de multa.

Loading...
Revisa el siguiente artículo