CET cobra explicações sobre poste que eletrocutou folião de Carnaval

Por Bruna Barboza - Rádio Bandeirantes

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) cobra explicações da empresa que colocou câmeras de segurança no poste que eletrocutou um folião do carnaval de rua em São Paulo, no último domingo (4).

A companhia nega consulta sobre a instalação de ambos os aparelhos, portanto a empresa não autorizou o ato. Essas informações estão no boletim de ocorrência, registrado no 4º Distrito Policial (DP). O poste, localizado na esquina da rua da Consolação com a Matias Aires, está sem energia.

Lucas Antônio Lacerda da Silva tinha 22 anos e participava do bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, quando levou o choque.

Leia mais:
Folião morre eletrocutado após encostar em poste com câmeras em São Paulo

Investigação

Segundo a assessoria de imprensa da Santa Casa de Misericórdia, o jovem foi recebido no Pronto-Socorro vítima de um “choque elétrico em via pública”. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o caso foi registrado como morte suspeita, sem causa determinante aparente.

A Polícia aguarda os laudos da perícia e o resultado do exame necroscópico de Lucas – documentos que podem auxiliar no esclarecimento do incidente – para prosseguir a investigação.

A Dream Factory, empresa que venceu a licitação e foi contratada pela Prefeitura para organizar o carnaval de rua, diz lamentar o ocorrido e afirma que está à disposição para colaborar com as autoridades.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo