Volta às aulas pode ser antecipada em São Bernardo

Por Metro ABC

As aulas da rede pública de ensino de São Bernardo que começariam nesta segunda-feira, mas foram adiadas para o dia 19 pela prefeitura, poderão ser antecipadas para quinta-feira. Isso se a procura por vacinação contra a febre amarela em uma das 102 escolas, que servirão de postos inicialmente até sexta-feira, tiver baixa adesão.    

O acordo foi estabelecido entre MP (Ministério Público), Conselho Tutelar e representantes da administração municipal, durante reunião no dia 1º de fevereiro, na Promotoria de Justiça. Novo encontro será realizado na quarta-feira, a fim de avaliar o resultado dos primeiros dois dias  de imunização nas escolas – 33.253 doses foram aplicadas nos dois mutirões do fim de semana.    

“Se o movimento nas escolas for baixo, as aulas iniciarão na quinta-feira”, disse a promotora da Infância e da Juventude de São Bernardo, Vera Lúcia Acayaba de Toledo. Na cidade, muitas mães se queixaram de não ter onde deixar os filhos, uma vez que o início das aulas foi adiado.

Ao mesmo tempo, a promotora se mostrou preocupada com a situação vacinal. Apenas 163.573 pessoas foram imunizadas, número abaixo da expectativa da prefeitura – 22% da meta estipulada para 707 mil doses. “Muita gente tem medo de reações adversas, mas o que mata é a doença e não a vacina”, afirmou.

A prefeitura confirmou o acordo. A vacinação nas escolas ocorre das 9h às 16h.

Prefeitura afirma que merenda está garantida

A rede de ensino municipal está sem mão de obra de 550 merendeiras, responsáveis por cerca de 200 mil refeições diárias. Com o término do contrato com a Pró-Saúde Alimentação Saudável, firmado em caráter emergencial por 180 dias e finalizado no fim de janeiro, o serviço terceirizado foi interrompido.

  No entanto, a Prefeitura afirmou na sexta-feira que “a alimentação dos alunos estará garantida”, inclusive se as aulas começarem na quinta-feira e independentemente do processo de licitação em fase final – há questionamentos do TCE (Tribunal de Contas do Estado).

No lugar da Pró-Saúde deve assumir a Soluções Serviços Terceirizados, vencedora do pregão eletrônico.

Antes, a prefeitura resolve pendência jurídica – a Convida Refeições, ex-fornecedora do serviço na gestão anterior, manifestou interesse.

O Ministério Público também investiga o processo licitatório. 

Região registra três casos importados da doença

Santo André confirmou o primeiro caso importado de febre amarela silvestre de residente no município. Trata-se de jovem do sexo masculino, 24 anos, que contraiu a doença em Atibaia, cidade que registrou, até o momento, 23 casos e 12 óbitos, segundo último balanço da Secretaria de Estado da Saúde.

Com o registro de Santo André, o total na região subiu para três casos contraídos fora das cidades de origem das vítimas – um em São Bernardo e outro em Ribeirão Pires.

Ambos homens, de 33 e 35 anos, respectivamente, que contraíram a doença em Mairiporã, município com 96 casos e 28 mortes, que, ao lado de Atibaia, classificado como área de risco no Estado de São Paulo.

No caso do morador de São Bernardo, que se recupera em casa, o fato curioso é que ele havia tomado a vacina. Porém, não esperou os dez dias recomendados pelo Ministério da Saúde, período necessário para o efeito da dose, antes de viajar para Mairiporã. 

O residente de Ribeirão Pires permanecia internado até a última sexta-feira, com quadro estável.

Santo André investiga o caso de residente da cidade, que morreu na semana passada com suspeita da doença – até sexta-feira, o resultado não havia chegado, segundo a prefeitura.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo