Nos últimos nove anos, mais paulistanos passaram a utilizar o SUS

Por Metro Jornal
Fabio Arantes/ SECOM
Nos últimos nove anos, mais paulistanos passaram a utilizar o SUS

A quantidade de pessoas que usam os serviços de saúde pública na capital paulista cresceu muito. Em nove anos, houve um aumento de 32% de pacientes – com destaque para os moradores da zona norte e leste.

Leia mais:
Crianças da zona sul de SP têm que esperar quase um ano por vaga em creche
Cresce a confiança dos paulistanos na Polícia Militar

Dentre o público que utiliza os hospitais e postos de saúde, o crescimento foi maior entre pessoas de 25 a 34 anos: de 9% em 2015 para 21% em 2017. Outro dado que chama a atenção é a classe social. Enquanto famílias com menos de cinco salários registraram queda, os atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) na capital paulista que recebem mais de 5 salários mínimos passaram de 14% em 2015 para 22% em 2017.

Pacientes também  passaram a utilizar mais os serviços. Os que tiveram os maiores ganhos foram a distribuição gratuita de medicamentos (18 pontos percentuais), odontologia (17 pontos percentuais) e consulta com especialistas (12 pontos percentuais).

Paralelamente, os moradores da zona oeste e Centro foram os que mais voltaram a adquirir planos de saúde privado. Quase metade dos moradores dessas regiões contam com a assistência de hospitais particulares. Destaque para pessoas brancas, entre 35 e 44 anos, renda familiar entre 2 e 5 salários mínimos e Ensino Superior completo.

A pesquisa "Viver em SP" foi realizada pelo Ibope Inteligência para a Rede Nossa São Paulo entre os dias 8 e 27 de dezembro do ano passado. Foram mais de 800 entrevistas com paulistanos maiores de 16 anos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo