Após morte de macaco, Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico de SP são fechados

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo
Peter Schoen/Wikimedia Commons
Após morte de macaco, Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico de SP são fechados

O Zoológico, o Zoo Safari e o Jardim Botânico de São Paulo serão fechados a partir desta terça-feira para ações de prevenção contra febre amarela.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a medida foi tomada depois da confirmação da morte de um macaco bugio pelo vírus da doença.

O coordenador do controle de doenças da Secretaria do Estado da Saúde de São Paulo Marcos Boulos disse que foi uma surpresa a morte do macaco na região de mata do zoológico.

O infectologista garantiu em entrevista ao “BandNews São Paulo” que os fechamentos do Zoológico, o Zoo Safari e o Jardim Botânico de São Paulo são ações de prevenção contra febre amarela.

Além disso, ele afirmou que as pessoas que visitaram esses locais nas últimas semanas não correm riscos de terem sido infectadas pelo vírus.

Leia mais:

Febre amarela: Secretário diz que ainda é cedo para saber se vacina fracionada oferece menos risco
‘É burrice matar macacos por causa da febre amarela’, diz Ana Maria Braga

Campanha de vacinação

Após os postos de saúde da capital paulista registrarem longas filas pela vacina da febre amarela e ausência do insumo, a Prefeitura decidiu que, a partir da próxima quinta-feira, 25, só poderão receber a imunização moradores dos distritos alvo da campanha mediante apresentação de senha que será distribuída nas residências.

A nova fase da campanha, feita com dose fracionada, tem como objetivo imunizar moradores de 16 distritos das zonas leste e sul da cidade. Ao contrário do que vinha ocorrendo até agora, não serão distribuídas senhas nas unidades de saúde.

Agentes comunitários de saúde e associações de bairro passarão nas casas dos paulistanos dessas regiões entregando as senhas. O morador poderá escolher entre dois ou três dias diferentes para receber a imunização.

"Ao longo da campanha, que vai de 25 janeiro a 24 de fevereiro, iremos distribuindo progressivamente as senhas para, assim, não ter necessidade de formar filas", declarou nesta segunda-feira, 22, o secretário municipal da Saúde, Wilson Pollara. As senhas começarão a ser entregues a partir desta terça-feira, 23.

Os paulistanos que não vivem nesses 16 distritos, mas que irão viajar para área de risco deverão procurar as 17 unidades de referência para saúde do viajante distribuídas pelas cinco regiões da cidade.

"Pedimos que somente quem vai para área de risco procure essas unidades. Se houver um afluxo muito grande de pessoas, vamos passar a exigir comprovante de viagem", disse o secretário.

A Prefeitura apresentou também nesta segunda-feira o cronograma atualizado de vacinação de toda a população. A ação será dividida em cinco fases. A previsão da secretaria é de vacinar todos os paulistanos até o final de maio.

Loading...
Revisa el siguiente artículo