Após 6 meses, Cabify anuncia saída do ABC

Por Metro ABC
Divulgação
Após 6 meses, Cabify anuncia saída do ABC

Em julho do ano passado, um dos principais concorrentes do Uber, o aplicativo Cabify, começava a disponibilizar carros em Santo André, São Bernardo e São Caetano. Após seis meses de atividade, a empresa privada de “carona remunerada” anunciou internamente na quinta-feira passada que não vai mais atender os moradores do ABC.

Em comunicado enviado aos motoristas cadastrados no aplicativo, do qual a reportagem teve acesso, a empresa alega que “foram retiradas algumas regiões onde não existiam chamados e as viagens levavam a áreas fora de cobertura. Além disso, a região do ABC não faz mais parte da área de cobertura do Cabify”. O anuncio ainda não foi feito oficialmente aos usuários.

Em nota, a empresa explicou que decidiu otimizar as áreas de operação. “Algumas áreas deixaram de ser operadas e outras foram maximizadas”, diz trecho da nota encaminhada à reportagem.

Para um motorista do Cabify, que pediu para não ser identificado, o fato de o aplicativo não aceitar pagamento em dinheiro é um dos motivos para as poucas corridas no ABC. “Trabalho com o Uber também e, sem exagerar, 90% das corridas são em dinheiro. O Cabify perde por causa disso”, afirmou.

O aplicativo operava com veículos particulares em Santo André, São Bernardo e São Caetano. No entanto, as três cidades ainda não têm regulamentação para esse tipo de serviço, diferente da capital.

As mudanças da regulamentação em São Paulo já começaram a afetar os motoristas do ABC, como mostrado na reportagem da edição do Metro Jornal de terça-feira passada. Isso porque um dos pontos da nova legislação diz que só poderá atuar no território paulistano os carros de aplicativos que tiverem placas certificadas e licenciadas na capital, o que impede os veículos da região de atenderem passageiros em São Paulo.

Regulamentação

O prefeito de Santo André, Paulinho Serra (PSDB), afirmou em março do ano passado que a prefeitura iria apresentar proposta para regulamentação dos aplicativos de transporte privado remunerado em 30 dias. Porém, dois meses depois, o tucano voltou atrás e a prefeitura comunicou que a medida só seria tomada de maneira regional, por meio do Consórcio Intermunicipal do ABC.

A entidade foi questionada sexta-feira sobre os avanços para a regulamentação dos aplicativos, mas não se posicionou sobre o tema até a conclusão desta edição.

Loading...
Revisa el siguiente artículo