Ministério Público denuncia dois por morte de militante durante a ditadura

Por Estadão Conteúdo
O caso do estudante de Geologia foi discutido na Assembleia Legislativa - Divulgação
Ministério Público denuncia dois por morte de militante durante a ditadura

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo denunciou dois responsáveis pela morte do militante político Ronaldo Mouth Queiroz, em 1973.

O então delegado Cláudio Antônio Guerra executou à queima-roupa o estudante de geologia no centro da capital paulista a partir de informações passadas por João Henrique Ferreira de Carvalho, agente infiltrado na Ação Libertadora Nacional (ALN), organização de resistência ao regime militar da qual Queiroz fazia parte.

Guerra e Carvalho são acusados de homicídio qualificado.

Loading...
Revisa el siguiente artículo