Pai de bebê morto após atropelamento em Copacabana chama motorista de assassino

Por Metro Jornal
Reprodução/Facebook
Pai de bebê morto após atropelamento em Copacabana chama motorista de assassino

O pai da bebê Maria Louise, que foi morta após de ser atropelada no calçadão da avenida Atlântica, em Copacabana, na última quinta-feira (18), disse que o motorista é um assassino e pediu por justiça.

O acidente, que aconteceu zona sul do Rio, deixou 16 pessoas feridas depois que Antônio de Almeida Anaquim, de 41 anos, perdeu o controle do carro e invadiu a calçada e a areia.

Leia mais:
Atropelamento na orla de Copacabana mata bebê de 8 meses e deixa outras 16 pessoas feridas
Motorista que causou acidente em Copacabana tinha carteira de habilitação cassada há 4 anos
Motorista que atropelou 17 pessoas em Copacabana não estava alcoolizado, confirma polícia

A criança morreu em uma Unidade de Pronto Atendimento, segundo os policiais que atuam no caso. Niedja da Silva Araújo, mãe da menina, continua internada em estado grave.

Niedja passeava na orla da praia com a avó, que havia chegado de Recife. O pai da criança, Darlan Rocha, estava trabalhando como Uber quando o acidente aconteceu. "Quero Justiça, que ele fique preso. Não é para ter carteira de motorista nem estar dirigindo. Ele é um assassino. Matou minha filha", disse Darlan em entrevista ao G1.

O motorista afirmou à Polícia Civil ser epilético e ter sofrido um desmaio.

Loading...
Revisa el siguiente artículo