Motorista que causou acidente em Copacabana tinha carteira de habilitação cassada há 4 anos

Por Estadão Conteúdo
Antonio de Almeida Anaquim - Reprodução
Motorista que causou acidente em Copacabana tinha carteira de habilitação cassada há 4 anos

O motorista Antonio de Almeida Anaquim, 41, que dirigia o carro que atropelou 17 pessoas – entre elas um bebê, que morreu – na noite desta quinta-feira, 18, na orla de Copacabana, está com a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa desde maio de 2014.

Leia Mais:
Pai de bebê morto após atropelamento em Copacabana chama motorista de assassino
Turista australiano está em estado grave após atropelamento em Copacabana; veja lista de feridos
Motorista que atropelou 17 pessoas em Copacabana não estava alcoolizado, confirma polícia

A informação foi divulgada pelo Detran-RJ, que não informou o motivo da suspensão. Segundo o órgão, no entanto, Anaquim não cumpriu com a exigência de devolução da CNH para realização de curso de reciclagem.

O Detran também informou que, por cometer um crime de trânsito ao dirigir com a carteira suspensa, o motorista terá sua documentação cassada, "como determina a legislação federal de trânsito". "Neste caso, o Detran esclarece que cumpriu com todo o trâmite do Código Brasileiro de Trânsito. O Detran-RJ, assim como toda a sociedade carioca, se solidariza com as vítimas deste acidente", disse o órgão por meio de nota.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) da Polícia Civil deu resultado negativo para o teste de alcoolemia do motorista. Além de deixar um bebê morto, o acidente resultou em ferimentos em pelo menos 17 pessoas.

Segundo testemunhas, Anaquim teria perdido o controle de seu carro por volta das 20h30 na altura da Rua Figueiredo de Magalhães. O automóvel invadiu a calçada e a areia. Ele afirmou à Polícia Civil ser epilético e ter sofrido um desmaio enquanto dirigia. Testemunhas também contaram que, ao descer do veículo, Anaquim estava "meio parado" e "não esboçava reação".

Segundo os PMs, dentro do carro de Anaquim havia medicamentos para epilepsia. Após prestar depoimento, o motorista foi levado ao Instituto Médico-Legal (IML) para realizar exames de saúde que poderiam comprovar problema médico. Pessoas epiléticas podem dirigir automóveis, desde que comprovem não sofrer crises frequentes.

Loading...
Revisa el siguiente artículo