Alckmin chama greve do metrô de 'absurda' e defende privatização

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes
Leonardo Benassatto/Reuters
Alckmin chama greve do metrô de 'absurda' e defende privatização

O Governador de São Paulo Geraldo Alckmin condenou a greve parcial dos metroviários, que prejudica 3,4 milhões de passageiros, nesta quinta-feira (18), em São Paulo.

Para o governador, a paralisação é “absurda” e só “reforça a convicção” do Estado de que “está correta a concessão das linhas 5 e 17”.

 Alckmin afirmou ainda: “Nós não vamos retroagir e queremos ampliar os serviços de Metrô e trem em São Paulo e com melhor qualidade de serviços”.

Leia mais:

Greve do Metrô: Rodízio pode voltar a valer de tarde? Veja mudanças no trânsito
Greve: Veja quais estações do Metrô estão funcionando

A licitação será realizada na sexta-feira, na sede da B3, a antiga Bovespa, para ceder a operação comercial das duas linhas ao setor privado por 20 anos.

O lance mínimo é de R$ 189,6 milhões e a expectativa é que sejam feitos investimentos de R$ 3 bilhões ao longo do prazo da permissão.

 O critério de julgamento será o de maior valor oferecido pela outorga fixa da concessão.

Loading...
Revisa el siguiente artículo