Estado libera vacinação contra febre amarela após mortes em São Paulo

Cidades da Região Metropolitana da Capital confirmaram três óbitos causados pela doença no fim de semana

Por Metro Jornal São Paulo

Após as primeiras mortes por febre amarela na Região Metropolitana de São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde anunciou que será liberada a vacinação para todo o Estado. Dois dos homens que morreram estiveram em Mairiporã, a cerca de 40 quilômetros da capital, onde foram passar o fim de ano. O terceiro óbito, de um idoso que passou por Nazaré Paulista, cidade próxima de Mairiporã, foi confirmado no domingo (7) em Guarulhos.

Uma engenheira civil que trabalhava desde setembro em Mairiporã também foi infectada pela doença e está internada em estado grave no Hospital das Clinicas, na capital, mas não corre risco de morte, segundo familiares. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, uma prima informou que a jovem de 27 anos está sedada, sem previsão de alta.

Leia mais:
Tire suas dúvidas sobre a febre amarela

Imunização
A ampliação da imunização deve priorizar os corredores ecológicos, compostos por zonas de mata, onde a doença pode se propagar por meio da contaminação dos macacos por mosquitos, caso de Mairiporã. Segundo o governo, a imunização deve ser feita em dose única nas áreas de risco e fracionadas – que imunizam por nove anos – nas demais regiões do Estado.

Podem ser vacinadas crianças a partir de nove meses até idosos com 60 anos. Não devem ser imunizadas as gestantes, mulheres amamentando, pessoas com câncer submetidas a quimioterapia e radioterapia, alérgicos a ovos e derivados e pessoas com HIV ou doenças que afetem o sistema imunológico.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo