Paulinho Serra completa um ano à frente da Prefeitura de Santo André, mas ainda patina em promessas

Por Metro Jornal ABC

Apesar de dificuldades financeiras no 1º ano à frente da Prefeitura de Santo André, Paulinho Serra conseguiu entregar uniforme escolar aos estudantes da rede municipal. A dor de cabeça veio com o fechamento de postos de saúde no segundo semestre.

Aluno nota 10

As mães dos alunos da rede municipal talvez já nem esperavam mais receber uniforme para as crianças em 2017. O cenário era o seguinte: em 2015 eles atrasaram, em 2016 sequer foram entregues e neste ano o prefeito assumiu dizendo que não tinha dinheiro em cofre. Porém, tal como um aluno exemplar, Paulinho fez a lição de casa, negociou a dívida com o fornecedor do material – que impedia a entrega de 2017 – e conseguiu colocar roupa nova no armário dos estudantes já no início do ano letivo. Além disso, já programou a compra dos kits para 2018 e 2019.

Que dor de cabeça!

O setor da Saúde foi a grande dor de cabeça do primeiro ano de Paulinho Serra no comando da Prefeitura de Santo André. O programa Qualisaúde fechou sete postos para reforma, mas as obras sequer foram começadas e ele teve que aguentar muita pressão por conta disso. A alegação é que o projeto não é só de obras físicas e que os equipamentos serão entregues no prazo estipulado.  Ele também sofreu com enxaqueca após vídeo que mostra pacientes em macas fora dos quartos do CHM (Centro Hospitalar Municipal) viralizar nas redes sociais – na ocasião ele demitiu o superintendente. As unidades da cidade também sofreram com falta de medicamento, principalmente no início da gestão. Para completar esse “pepino”, a secretária de Saúde, Ana Paula Penã Dias, pediu demissão no início deste mês  – Márcio Chaves assumiu o cargo na semana passada.

Patinou em retomada de obra

Essa era uma ideia tão presente nos planos de Paulinho que ele chegou a até colocar em seu plano de governo, ainda como candidato, que era prioridade retomar as obras do Hospital Vila Luzita nos primeiros dias de governo. No entanto, ele patinou nesta promessa e nada saiu do papel. O prédio segue sem obras e não há previsão para entrega do equipamento. A prefeitura alega que ainda depende de repasse do governo federal para concluir o projeto.

 

O Metro ABC publica nesta semana resumos bem-humorados do primeiro ano de gestão dos prefeitos de Santo André, São Bernardo e São Caetano. Quinta-feira é a vez de Orlando Morando.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo