Conheça 'repórter' mirim que denuncia problemas do bairro com celular e microfone de isopor

Por Estadão Conteúdo

Mirella Archangelo, de 11 anos, usou um microfone de isopor para abordar o assunto das graves falhas das vias públicas de Ribeirão Preto, cidade do interior de São Paulo. A mãe gravou tudo, e o vídeo – o primeiro de três, até o momento – viralizou e chamou a atenção de emissoras de TV.

O microfone foi um presente de aniversário usado quase que imediatamente. Segundo a mãe de Mirella, a tatuadora Amanda Salles, diante do microfone veio a ideia de gravar um vídeo de denúncia contra o descuido da via pública na região. "Quando chove fica tudo alagado, e quando está seco fica cheio de pedra e poeira", relatou a familiar.

A mãe contou que o vídeo foi gravado uma única vez, e que planejamento se resumiu a: Mirella seria a repórter e o irmão cairia de bicicleta – para reforçar a ideia de buraco. "Ela falou tudo na hora, sem ensaio". Amanda compartilhou no grupo de WhatsApp da família e depois nas redes sociais e no WhatsApp do jornal local, que entrou em contato. A repercussão foi muito maior que o esperado, diz a mãe.

#Como já me cansei de ligar, reclamar, pedir providências,ir até na prefeitura e ouvir que eles não tem nem previsão para vir dar um jeito nesta rua. A rua que fica o meu estúdio. Quando chove vira rio. E quando está sol voa as pedras que estão soltas, onde corre o risco de acertar nos meus filhos e clientes..Então como as crianças já estão e saco cheio resolveram do jeito delas pedir uma ajuda aos "Superiores" para dar um jeito nesta rua que esta uma vergonha..E eu peço a todos vocês que #compartilhem me ajude para que alguém olhe por está rua vergonhosa.. Rua Egydio Pedreschi. No Bairro Parque Avelino. Ribeirão Preto. #compartilhe povo. Mirella Archangelo. Pablo. Peterson e Marjory meu quarteto fantástico.

Posted by Julio Cesar Buyu on Saturday, October 28, 2017

Para Mirella, que também deu entrevista por telefone a esta reportagem, o episódio mudou sua vida. Antes queria ser professora, agora sonha com jornalismo. "Gostei muito do que falei, e vou ajudar melhor o próximo se divulgar as informações"

A garota já é reconhecida na rua e até foi chamada por um vizinho para gravar um vídeo denunciando o vazamento de água, cujo conserto também foi postergado pela prefeitura. Na escola, todos a reconhecem e dizem que é pra ela continuar com as gravações.

Como ela não concorda com o descaso e o desperdício ela decidiu novamente denunciar o descaso com nosso bairro.Mirella Archangelo mostra o vazamento na rua Egydio Pedreschi na altura do número 969.. Onde está acontecendo um vazamento a meses.. Por favor prefeitura para de fazer nosso dinheiro ir pelo ralo.. Da uma atenção a criança que já está cansada de tanto descaso.#Quem puder #compartilhar agradeço..

Posted by Julio Cesar Buyu on Saturday, November 11, 2017

Após o primeiro vídeo, a prefeitura de Ribeirão Preto deu um prazo de 45 dias para concluir a manutenção da via. Passado este período, nada foi feito e Mirella gravou um novo vídeo. "Será que vou ter que deixar meu jornalismo de lado para virar prefeita?".

O prazo dado pela prefeitura acabou e nada de vir recapear está rua. E ai a criançada fica indignada e faz novas reclamações. #Até quando será este descaso com nossa rua. #Até quando vamos ficar tomando pedradas e sofrendo com a poeira. #descasototal. #semprevisão. #prefeituracorrupta.#ATÉQUANDO.#COMPARTILHEM ATÉ CHEGAR À ALGUEM QUE POSSA FAZER ALGO.#vídeo do dia 14/12/17.

Posted by Julio Cesar Buyu on Friday, December 15, 2017

Uma emissora de TV voltou ao local para novamente divulgar a falha. Mirella fez parte, como repórter. "Foi muito bom conhecer o que eles usam. Usei o ponto eletrônico e ouvi as conversas dos jornalistas, sabia quando estava em comercial e quando era para a gente entrar ao vivo". Em seu perfil no Facebook, gerenciado pela mãe, há fotos da garota com os irmãos e a equipe da imprensa já graduada.

São três os irmãos de Mirella. Peterson, de 8 anos, que adora fotografar e brinca com uma filmadora de papelão, Pablo, de 8 anos, e Marjorie, de 6 anos. Hoje a mãe filma os quatro, inclusive a encenação de Peterson como o cinegrafista.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Ribeirão Preto, mas ainda não obteve resposta.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo