Inteligência Artificial do Google ajuda Nasa a ‘ver’ dois novos exoplanetas

Por Metro Jornal

A Nasa (agência espacial norte-americana) anunciou nesta quinta-feira que o telescópio Kepler  descobriu dois novos exoplanetas: Kepler-90i e Kepler-80g. A descoberta foi possível por meio de uma parceria com a Google, que desenvolveu um modelo de AI (inteligência artificial) utilizado no espaço pela primeira vez na história.

Um computador foi programado para aprender a identificar exoplanetas pela minúscula mudança da luminosidade emitida por uma estrela quando um planeta passa diante dela. O computador foi “ensinado” a se comportar de forma semelhante ao cérebro, utilizando uma espécie de rede neural com informações embutidas pela Kepler.

Um conjunto de 15 mil sinais do telescópio foi cruzado com um modelo para distinguir planetas de não-planetas. Após constatar que o modelo acertava em 96% das situações, a equipe resolveu mudar as atenções para as estrelas detectadas. Foram então analisadas 670 estrelas e, finalmente, encontrados os dois novos exoplanetas.

O Kepler-90i é um corpo celeste rochoso, extremamente quente e 30% maior do que a Terra que orbita a estrela a cada 14,4 dias. É praticamente impossível que tenha vida porque fica tão próximo da estrela, que a temperatura à superfície deve rondar 427ºC, mais ou menos a mesma de Mercúrio, o planeta mais perto do Sol no Sistema Solar.

O Kepler-80g tem o mesmo tamanho que a Terra, é o quarto do sistema e tem um planeta irmão com o qual interage em ressonância orbital – estão atraídos pelos campos gravitacionais um do outro. 

Kepler 90 Nasa

Telescópio foi lançado ao espaço em 2009

O telescópio Kepler foi lançado em março de 2009 e, na época, a Nasa não tinha nenhum conhecimento sobre outros planetas além de nosso Sistema Solar. Só começou a procura especificamente de planetas parecidos com os nossos quando os astrofísicos notaram que havia muitos gigantes gasosos (alguns deles gelados) ou planetas quentes demais para suportarem vida.

Nos períodos de atividade mais intensos, a sonda confirmou a existência de 2.337 exoplanetas, descobriu 4.496 corpos celestes candidatos a esse título e verificou que há 30 exoplanetas com, no máximo, duas vezes o tamanho da Terra que estão na zona de habitabilidade da sua estrela.

Agora, os cientistas já dizem acreditar que exista pelo menos um planeta em órbita para cada uma das estrelas que brilham no espaço. METRO

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo